25 de abril de 2018
Tecnologia Virtual
5 de abril de 2018 - 14:47

Big data ou "Right data"?

Evaristo de Miranda pergunta a todos, especialmente aos produtores, o que é mais importante: a imensa massa de dados disponível na internet ou dados precisos, na hora certa, para necessidades específicas?

Evaristo E. de Miranda

Busque no Google a expressão big data e, em menos de um segundo, terá meio bilhão de resultados. O termo big data está na moda. Ele refere-se a enormes conjuntos de dados, gerados pelos mais diversos sensores e pela capacidade crescente dos processos computacionais de tratarem, estocarem e compartilharem (networking) grandes conjuntos de informações. 

Esses conjuntos são, cada vez mais frequentes, numerosos, e obtidos por dispositivos baratos de aquisição de informação. Um exemplo é o quanto cada pessoa acumulou de fotos digitais e músicas em dispositivos móveis e computadores pessoais nas últimas décadas. Os arquivos digitais de uma família superam em volume a informação de muitas bibliotecas do passado.

A capacidade per capita do mundo para armazenar informações praticamente dobra a cada 40 meses, desde a década de 1980. A partir de 2012, foram criados em média por dia 2,5 exabytes (2,5 × 1018 bytes) de dados. Daqui dois anos, em 2020, prevê-se um trilhão de aparelhos e equipamentos conectados pela IoT (internet das coisas), incluindo carros, eletrodomésticos, tratores, equipamentos agrícolas, relógios, óculos, telefones e até acessórios de vestuário como bonés e mochilas.

A matéria completa está na edição de abril da Revista Agro DBO. Assinantes também podem lê-la na edição digital.

Fonte: Agro DBO 98

Comentário