18 de dezembro de 2017
Herbicidas
5 de dezembro de 2017 - 15:07

Manejo de plantas daninhas

Pesquisadores do Wolf Team apresentam estudos sobre incidência, supressão e aplicação de herbicidas no controle de plantas invasoras resistentes, como buva e capim-amargoso, na entressafra do Cerrado.

Alberto Leão de Lemos Barroso * Hugo de Almeida Dan * José Arnaldo de Souza Júnior * Flávio Nascimento Silva *

Um dos maiores desafios da região do cerrado é o controle de plantas daninhas, especialmente na entressafra onde o inverno é predominantemente seco. Nestas condições as plantas daninhas apresentam elevados níveis de estresse, dificultando, além da absorção, a translocação de herbicidas, sejam eles via solo ou foliar.

Observações realizadas pelo GEPDC apontam pequenos fluxos de emergência de plantas daninhas nas condições de entressafra, especialmente de Buva (Conyza spp.) mesmo com baixa umidade do solo. O uso de cobertura do solo apresenta como uma ferramenta importante no manejo das plantas daninhas. Dentre as espécies predominantes nos cultivos de entressafra ou safrinha, destacam se o milho, milheto, sorgo e a braquiária.

Estas culturas, quando bem manejadas proporcionam excelentes níveis de supressão sobre espécies daninhas latifoliadas. Por outro lado, apresentam limitações quanto ao uso de herbicidas graminicidas desencadeando escapes, dificultando controle posterior, com destaque para Capim-colchão (Digitaria horizontalis), Capim-pé- -de-Galinha (Eleusine indica) e Capim-amargoso (Digitaria insularis).

A redução da população de plantas daninhas é outro benefício dos sistemas consorciados relatados na literatura nacional e estrangeira (Dan et al., 2011). Em experimento de longa duração na Embrapa Cerrados, Ikeda et al. (2007), constataram reduções significativas nos bancos de sementes de plantas daninhas em sistema de rotação lavoura-pasto, em comparação ao sistema de lavoura contínua, principalmente quando se adotou o plantio direto.

A matéria completa está na edição de dezembro da Revista Agro DBO. Assinantes também podem lê-la na edição digital.

Fonte: Agro DBO 95

Comentário