25 de abril de 2018
Agroinformática
5 de abril de 2018 - 14:23

Na palma da mão

Manfred Schmid escreve sobre novas funcionalidades para comunicação via smartphone, tablet e computador. O problema dos agricultores não está na tecnologia, mas, sim, na falta de sinal de internet nas lavouras.

Manfred Schmid

Aatual revolução da informática, inclusive no agro, é marcada principalmente pela computação “na nuvem” ou “cloud computing”. Os softwares, anteriormente instalados em computadores ou servidores, passam a ser serviços de internet. Mesmo sem querer, praticamente todos os produtores rurais e engenheiros agrônomos já embarcaram nesta onda, pois utilizam um telefone celular moderno, os chamados smartphones.

Quando comecei a trabalhar como engenheiro agrônomo, há 27 anos, em meu aparato de viagem não podia dispensar um bom mapa rodoviário, e, uma vez dentro de uma nova cidade, invariavelmente parava num posto de gasolina para pedir informações. Hoje, me localizo apenas com o celular.

Recentemente, arrumando um armário, me deparei com um antigo GPS Garmin III, de 1997. Quanta inovação aquele aparelho nos trouxe! Com ele levantei o perímetro de algumas propriedades. Gastei horas pré-configurando o aparelho, esperando localizar satélites e então passando os pontos para um computador, gerando mapas. Hoje, resolvemos a funcionalidade com um celular que ainda cruza a informação com fotos aéreas coloridas, cuja precisão e definição de detalhes certamente atenta a privacidade de vários proprietários.

A matéria completa está na edição de abril da Revista Agro DBO. Assinantes também podem lê-la na edição digital.

Fonte: Agro DBO 98

Comentário