21 de fevereiro de 2018
Soja
9 de fevereiro de 2018 - 10:38

Entidades lançam manual de classificação de soja

Cartilha define procedimentos e parâmetros e os ilustra com referencial fotográfico

Indústrias, tradings, cerealistas e cooperativas, reunidas na Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), Associação das Empresas Cerealistas do Brasil (Acebra), Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec) e Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), afirmaram nesta quinta-feira, 8, no lançamento do manual de boas práticas de classificação de soja, que estão comprometidas com a transparência nesses processos, baseados em critérios técnicos e em legislações aplicáveis.

Segundo as envolvidas, a importância de dar transparência à sociedade sobre procedimentos de mensuração de defeitos é o principal objetivo do manual. A cartilha também é importante para harmonizar e padronizar procedimentos técnicos. As entidades que assinam o manual se comprometem com o esclarecimento do processo de classificação da soja proveniente da lavoura e da soja padronizada.

Apesar de as diretrizes da Instrução Normativa (IN) nº 15, de 9 de junho de 2004, da IN nº 11, de 15 de maio de 2007, e da IN nº 37, de 27 de junho de 2007, todas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), serem aplicáveis à soja padronizada importada e à soja padronizada destinada ao consumo in natura, as empresas compradoras signatárias do manual já seguiam os critérios de defeitos estabelecidos por essas normas. A cartilha, portanto, reforça o compromisso em aplicar as definições normatizadas para a soja proveniente da lavoura.

O que diz o manual - O manual define termos e procedimentos de classificação, detalha os parâmetros e os ilustra com referencial fotográfico, explica quais equipamentos devem ser utilizados na classificação e no processo de amostragem de soja. A cartilha também trata de listas de insetos, pragas e de padrões de segurança do trabalho em amostragem de caminhões. Além disso, aborda aspectos mínimos de qualidade e segurança para amostragem de soja. O manual está disponível nos sites das entidades signatárias.

Fonte: Abiove

Comentário