21 de janeiro de 2018
ILPF
14 de dezembro de 2017 - 14:41

Paulo Herrmann, da Rede de Fomento, analisa a situação da ILPF no Brasil

País já tem mais de 11,5 milhões de hectares com algum tipo de sistema integrado

Com a tecnologia já dominada, o que a integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) precisa no momento são de ajustes, como o crescimento de empresas incentivadoras, acredita Paulo Herrmann, membro da Rede de Fomento ILPF. Ao Portal DBO, ele reforça a importância dos sistemas integrados para a produção do país. “É uma oportunidade que os trópicos oferecem para fazermos transformações, combinações”. Segundo a Rede, já são mais de 11,5 milhões de hectares com alguma forma de integração. 

O executivo elenca três fatores para que os sistemas evoluam ainda mais no Brasil - e que a fase II da Rede de Fomento vai trabalhar. O primeiro é a revisão dos currículos das escolas de ciências agrárias, para que os estudantes se formem com visão territorial e capazes de gerirem propriedades complexas, que trabalham com mais de uma atividade. O segundo ponto é a qualificação da extensão rural privada. Já o terceiro envolve o reconhecimento das fazendas que fazem integração como forma de elas receberem por isso. “Precisamos criar uma certificação para que a propriedade com balanço de carbono equilibrado, governança e práticas sustentáveis - tanto social quanto ambiental - tenha isso reconhecido como valor que agregou à sua produção”, explica Herrmann, que é presidente da John Deere Brasil.

Em entrevista ao editor executivo da Agro DBO Richard Jakubaszko, Herrmann comenta a relevância dos sistemas integrados e da Rede de Fomento ILPF. Confira:

Fonte: Portal DBO

Comentário