18 de dezembro de 2017
Tecnologia
29 de novembro de 2017 - 16:38

Tendências de tecnologias digitais no agronegócio

Kleber Alencar, líder de agronegócio da Accenture, comenta o uso de novas tecnologias no setor

Thuany Coelho

A mudança no perfil do agricultor, a maior facilidade de acesso e a queda no custo das tecnologias são algumas das tendências que têm impulsionado sua utilização no campo, acredita Kleber Alencar, diretor executivo e líder de agronegócio da Accenture.

Apesar dessa expansão rápida, alavancada pelo aumento de startups voltadas para o setor, ainda existem dois gargalos importantes em relação à adoção de novas tecnologias pelo produtor: a rede de telecomunicações no país e a grande quantidade de novos produtos sendo criados. “A proliferação de diferentes tecnologias dificulta a vida do produtor. É um paradoxo. Por um lado, tudo vem para ajudar, mas imagina o agrônomo tendo que olhar informações - em plataformas diferentes - que vieram do drone, do banco, das colhedoras, do satélite, juntar tudo e tomar as decisões?”. Para ele, essa questão da integração de informações deve ser resolvida com a consolidação das empresas do setor em longo prazo.

Um dos focos da Accenture é justamente nessa integração de dados. A plataforma da empresa agrega dados de diversas fontes, os interpreta e gera um resultado para o produtor. “O que passamos para o produtor é: dadas as informações que recebemos de chuva, solo, clima, pragas, etc, você tem risco de perder x de produção. Então, você precisa tomar essas ações e, sem elas, pode perder tanto de dinheiro. Porque, no fim, é isso o que o produtor quer saber. Se tem um problema, o que fazer para consertar, e se não consertar como isso impacta no bolso. É nessa lógica que eu acho que esse mundo vai evoluir”. Além disso, a empresa atua na gestão de riscos da comercialização e na otimização da logística.

Em relação à adoção de novas tecnologias, Alencar acredita que o movimento é bem mais forte na agricultura do que na pecuária. “Na pecuária bovina ainda é um pouco tímido. Existe uma falta de comunicação e integração de tecnologia entre a cadeia, porque há um distanciamento entre pecuarista e frigorífico, diferente do que acontece em várias culturas agrícolas”.

No vídeo abaixo, ele comenta as tendências que impulsionam o uso de tecnologias no agro:

Fonte: Portal DBO

Comentário