24 de abril de 2017
79ª ExpoGrande, Campo Grande, MS.
20 de abril de 2017 - 16:36

ExpoGrande negociou mais de 1.200 lotes

Puxada pela venda de ovinos e fêmeas Nelore, mostra teve alta de 10,1% na oferta

Alisson Freitas

Impactada pelos efeitos da crise econômica do País, a ExpoGrande cumpriu a sua 79ª edição entre os dias 30 de março e 9 de abril, na capital do Mato Grosso do Sul, Campo Grande. A mostra promovida pela Acrissul foi palco de 18 leilões de genética, que comercializaram 1.203 lotes por R$ 13,6 milhões, resultando na média geral de R$ 11.364.

Na comparação com a edição anterior, a feira teve alta de 10,1% na oferta. Por outro lado o faturamento e o preço médio caíram 16,1% e 23,1%, respectivamente. De acordo com o Banco de Dados da DBO, em 2016 as vendas de genética da ExpoGrande movimentou R$ 16,2 milhões com 1.102 lotes à média de R$ 14.786.

O aumento da oferta está ligado à venda de ovinos, que não ocorreu em 2016. Este ano foi realizado o Leilão Ovinos do Vermio, que negociou 98 lotes de Texel, Santa Inês, Suffolk e Dorper por R$ 72.150.

Tradicional carro-forte da feira, o Nelore foi foco de seis leilões. A raça teve queda de 28,1% no número de touros vendidos, saindo de 456 animais no ano passado para 331 exemplares neste ano. Os preços médios da categoria caíram 10%, com R$ 9.548 ante os R$ 10.601 de 2016.

O desempenho negativo da categoria pode ser atribuído pela não realização do Leilão da Nelore IPB, que no ano passado comercializou 58 reprodutores a R$ 13.568.Em 2016 também ocorreu o início da Liquidação Nelore LS, que registrou média de R$ 9.387 com 97 touros

Já nas fêmeas a oferta saltou de 84 lotes para 266 exemplares, crescimento de 210%. O resultado foi puxado pela Liquidação Nelore Pintado da Santa Joana, que vendeu 207 matrizes à média de R$ 2.891 e 14 touros a R$ 4.270.

Além Nelore e dos ovinos, a ExpoGrande também teve oferta de bovinos Senepol, Tabapuã, Girolando; e equinos Crioulo, Quarto de Milho e Pantaneiro.

Fonte: Portal DBO

Comentário

Newsletter DBO