18 de novembro de 2017
75ª Exposição Nordestina
22 de novembro de 2016 - 10:14

Exposição Nordestina sofre com a seca

Famosa pela diversidade de oferta, mostra em Recife, PE, teve apenas dois leilões

Alisson Freitas

Uma das mais tradicionais mostras do Nordeste do País, a Exposição Nordestina de Animais e Produtores Derivados (ENAPD) foi gravemente afetada pela crise econômica que assola o País e pelo sexo ano consecutivo de seca. Em sua 75ª edição, a mostra realizada entre os dias 5 e 13 de novembro, em Recife, PE, foi palco de apenas dois remates, sete a menos que a edição anterior.

Famosa pela diversidade de oferta, este ano a mostra vendeu apenas equinos Quarto de Milha, caprinos Boer e ovinos Santa Inês e Dorper. No total, foram comercializados 93 lotes de animais e coberturas por R$ 901.740.

O QM Pernambuco Quarter Horse representou quase 84 do faturamento, movimentando R$ 756.300 com a venda de 62 machos, fêmeas e coberturas. Já o outro o Tradição Pernambuco estreou arrecadando R$ 162.960 com 34 lotes, com destaque para os 16 ovinos Santa Inês, que tiveram média de R$ 5.790.

Na comparação com a edição anterior da feira, a receita despencou 71%, enquanto a oferta teve recuo de 63%. De acordo com o Banco de Dados da DBO, em 2015, a Exposição Nordestina movimentou R$ 3,1 milhões com a venda de 251 lotes.

Além de Quarto de Milha, Boer, Santa Inês e Dorper, a feira também teve oferta de equinos Mangalarga Marchador e bovinos Nelore, Sindi, Gir Leiteiro e Girolando. 

Fonte: Portal DBO

Comentário