22 de agosto de 2017
Entrevista
3 de agosto de 2017 - 15:48

Cana é solução

Luiz Gustavo Nussio, diretor da Esalq, é o entrevistado desta edição. Ele fala da importância da cana na alimentação dos animais e cita estudo que comprova: é possível produzir de 20 a 25 litros de leite por vaca/dia com ela.

Luiz Gustavo Nussio

No início de 2016 a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, de Piracicaba, através do seu Grupo de Estudo em Qualidade e Conservação de Forragem, deu início a uma pesquisa para avaliar o consumo da cana-de-açúcar na alimentação de bovinos em alguns estados – São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Embora o estudo não trate exclusivamente da utilização da gramínea na alimentação de rebanhos leiteiros, é nessa perspectiva que ouvimos o professor Luís Gustavo Nussio, diretor da Esalq e um declarado entusiasta da pecuária de leite, sobre os resultados obtidos.


Revista Mundo do Leite – O que motivou a Esalq a realizar a pesquisa?
Luís Gustavo Nussio – A ideia é que a gente tenha um mapa, de tempos em tempos, atualizando a intenção de uso desse recurso forrageiro que é muito popular. A estratégia de campo foi montada para tentar acessar as cooperativas e outras localidades que tivessem algum controle local desse recurso forrageiro para termos alguns números.


ML – Quais foram as principais constatações?
Nussio – A primeira é que parece ter havido um deslocamento espacial do uso de cana. Nós percebemos uma diminuição do uso em Minas e um aumento em Goiás, oeste de São Paulo e norte do Paraná. A explicação é apoiada mais nas facilidades de se ter outras opções. De uma maneira geral a utilização da cana diminuiu, seja pela redução do número de pequenos produtores de leite ao longo do tempo, seja pela dificuldade crescente de mão-de-obra para o corte manual. A utilização da cana também parece que ainda esbarra muito na mecanização. Essa é uma queixa permanente, recorrente. Como ela é mais resistente, provoca mais danos ao maquinário, nas regiões onde outros recursos tiveram facilidade na utilização, como por exemplo a mecanização de milho, ou sorgo, a cana passou a ser preterida. Mais por esse motivo do que por uma indisposição com ela própria.

A matéria completa está na edição de agosto da Revista Mundo do Leite. Assinantes também podem lê-la na edição digital.
 

Fonte: Mundo do Leite 86

Comentário