17 de agosto de 2017
Leite
3 de agosto de 2017 - 10:51

Importações de lácteos caem no semestre

Aumento da produção nacional e a demanda interna fraca contribuíram para a redução

No acumulado do primeiro semestre o volume de importações de lácteos diminuiu 5,3%, já os gastos aumentaram 25,9% na comparação com igual período de 2016, segundo o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

Os preços dos lácteos estão em patamares mais altos do que o ano passado no mercado internacional, junto a isso, o aumento na produção nacional e a demanda interna fraca influenciaram a redução nas importações brasileiras.

Em junho, o montante importado no mês foi de 17,34 mil toneladas. Na comparação com o mês anterior, a queda foi de 2%. Com relação aos gastos, porém, houve aumento de 0,5% na mesma comparação, totalizando US$60,45 milhões no período. O produto mais importado foi o leite em pó. No total foram 10,35 mil toneladas que somaram US$35,35 milhões.

Os maiores fornecedores para o Brasil, em valor, foram o Uruguai, com 46,9%, a Argentina, com 38,4% e a Nova Zelândia com 4,8%. Na comparação com igual período do ano passado (junho de 2016) a redução foi de 31,2% para o volume e 2,4% para os gastos.

No parcial de julho, até a terceira semana, a média diária foi de US$2,72 milhões em gastos com as importações de lácteos, frente aos US$3,08 milhões por dia em junho/2017, queda de 11,9%. Na comparação com julho de 2016, o valor médio diário embarcado está 7,2% menor.

Exportações - Com relação as exportações, segundo o MDIC, estas totalizaram US$ 14 milhões em junho. Na comparação com o mês anterior, o faturamento teve forte aumento, de 122,3%.

O volume embarcado também cresceu. Passou de 2,26 mil toneladas em maio para 3,60 mil toneladas em junho, alta de 59,1%. O produto mais exportado foi o leite em pó, que somou 2,57 mil toneladas e US$10,98 milhões em faturamento.

A Venezuela voltou a ser a principal compradora do produto brasileiro com 58,2% do valor, seguida de Trinidad e Tobago com 9,0% e Chile com 5,8%.

Na comparação com igual período do ano passado, o volume e o faturamento referentes às exportações brasileiras aumentaram 11,5% e 46,8%, respectivamente.

No acumulado dos seis primeiros meses de 2017, o volume embarcado reduziu 1,9%, já o faturamento aumentou 3,0%.

A balança comercial brasileira de lácteos ficou negativa em junho, com déficit de US$46,44 milhões. No acumulado do ano (janeiro a junho) o déficit é de pouco menos de US$270,00 milhões.

Fonte: Scot Consultoria

Comentário