27 de junho de 2017
IDH
17 de maio de 2017 - 15:15

Projeto Campos do Araguaia irá apoiar intensificação

Serão realizadas adequação ambiental e intensificação sustentável em 50 propriedades rurais em nove municípios até 2018

O Médio Araguaia, zona de transição entre o Cerrado e a Amazônia, é uma das regiões produtoras de gado de corte mais antigas do estado de Mato Grosso. A pecuária ocupa aproximadamente 2 milhões de hectares de pastagens e, embora não existam dados sistematizados sobre o desmatamento, a ocorrência de baixos índices de lotação contribui para que as taxas continuem elevadas. Na ausência de boas práticas agropecuárias (BPA), pastagens acabam sendo degradadas, reduzindo sua capacidade de lotação e aumentando a pressão pela abertura de novas áreas para pastagem.

O projeto Campos do Araguaia, uma parceria do Grupo Roncador, Agropecuária Água Viva e a The Nature Conservancy (TNC), com apoio da Iniciativa de Comércio Sustentável (IDH), visa promover e apoiar a intensificação sustentável da pecuária e a adequação ambiental das propriedades rurais da região, por meio da recuperação ou reforma de pastagens degradadas e da restauração da vegetação nativa em 50 propriedades rurais de nove cidades da região.

O projeto, iniciado em julho de 2016, já vem apresentando resultados positivos, somando a adesão de uma dezena de produtores que desejam aderir e contribuir com a intensificação sustentável da pecuária em suas propriedades.

“A partir dos resultados iniciais dos primeiros eventos do projeto Campos do Araguaia, pode-se dizer que a receptividade na região está sendo muito boa visto que tivemos a assinatura das primeiras ‘cartas de intenção’ no Dia de Campo realizado em 8 de abril na Fazenda Água Viva. O alinhamento entre o setor produtivo e o setor ambiental é o ponto de partida para a construção de um setor mais sustentável e responsável com o meio ambiente”, explica Caio Penido Dalla Vecchia, Diretor de Novos Negócios e Sustentabilidade do Grupo Roncador.

Na Fazenda Água Viva, em Cocalinho, MT, duas áreas estão sendo trabalhadas como Unidades Demonstrativas do projeto Campos do Araguaia: uma para Restauração Florestal, com plantio total de mais de 40 tipos de espécies de árvores nativas, e outra para Intensificação da Pecuária.

“O projeto Campos do Araguaia se integra aos demais projetos em implantação pela Liga do Araguaia, reforçando o componente ambiental deste movimento nascido de produtores da região, numa experiência pioneira de desenvolvimento regional sustentável a partir da adoção de um novo paradigma de produção que contribuirá para o crescimento sustentável do Médio Vale do Araguaia”, diz José Carlos Pedreira de Freitas, consultor do Grupo Roncador para Sustentabilidade e Responsabilidade Social levada à estratégia de negócios.

A intensificação e a recuperação de pastagem estão entre as metas da estratégia PCI (Produzir, Conservar e Incluir), de Mato Grosso, bem como o restauro de Áreas de Preservação Permanente (APP) degradadas, em uma área total de 1 milhão ha até 2030. “Esse conjunto de metas tem como objetivo expandir a produção local, trazer os agricultores que estão excluídos e desenvolver ações, além de captar recursos financeiros”, aponta Fernando Sampaio, Diretor Executivo do PCI.

Cristiane dos Santos Menino, proprietária da Fazenda Conquista, em Nova Nazaré, MT, foi a mais nova participante a aderir ao projeto, pelos benefícios que trará para sua propriedade. “Receberemos a equipe técnica para entender o que precisa ser feito. Teremos apoio para desenvolver as ações e atender as exigências necessárias, com clareza e dentro da legislação ambiental. É um projeto sério que nos apresentará informações precisas e técnicas”, afirma.

Para Gina Timóteo, coordenadora da TNC em Mato Grosso, a parceria com as entidades promove um apoio maior à gestão do produtor e à conservação ambiental. “Estamos focados em construir soluções e desenvolver relações de confiança”, comenta.

Daniela Mariuzzo, Líder do Programa de Territórios da IDH no Brasil, esclarece que o Projeto Campos do Araguaia reforça o compromisso da organização em colaborar com o plano de desenvolvimento sustentável do estado de Mato Grosso, PCI.

O projeto Campos do Araguaia irá beneficiar, até dezembro de 2018, mais de 130.000 hectares de pastagens, com planos de intensificação, boas práticas e monitoramento de 500 hectares de floretas em processo de restauração de APP, influenciando outras propriedades e fortalecendo a cadeia de restauração.

Fonte: IDH

Comentário

Newsletter DBO