21 de fevereiro de 2018
Análise
8 de fevereiro de 2018 - 14:32

Gestão entra de vez no vocabulário da pecuária

Artigo de Mário Garcia, diretor da consultoria Exagro, destaca que planejar e treinar estão na ordem do dia e que formar um time capaz de funcionar de forma integrada deve estar entre os principais objetivos.

Mário Garcia

Definitivamente, a palavra gestão passou a fazer parte do vocabulário da pecuária. Cada vez mais, produtores e empresas do setor percebem que é no gerenciamento dos recursos que está a diferença entre as empresas que dão certo e as que não conseguem alcançar seus objetivos. Em artigos, eventos e palestras, o tema é lembrado como essencial na condução de sistemas produtivos. Assim, ideal é saber quais pontos mudam o resultado final e que efetivamente fazem a diferença na gestão financeira, produtiva, de pessoas ou de todo o processo, enfim.

Tecnologias, protocolos e metodologias de trabalho estão disponíveis para todos, graças à difusão feita por instituições de ensino e pesquisa, mídia ou outros meios. Mas, então, por que todas as fazendas não utilizam o melhor capim, os melhores equipamento e produtos? Ora, porque “o melhor” não existe. O que pode ser aplicável em determinadas situações pode não mostrar resultados satisfatórios em outras. Cresce a cada dia o leque de possibilidades de máquinas, produtos e serviços que, por si só, não garantem uma mudança de patamar em termos de produtividade ou rentabilidade.

Neste ponto é que entra o planejamento que, quando elaborado de forma consistente, considera recursos disponíveis e indicadores de desempenho factíveis para cada situação. É no planejamento que definimos qual deverá ser a direção de determinado projeto. Além disso, na tomada de decisão conjunta o planejamento ganha corpo, resulta em mudanças de atitude e em melhoria contínua de processos.

A matéria completa está disponível no Anuário da Revista DBO. Assinantes também podem lê-la na edição digital.
 

Fonte: Revista DBO 447

Comentário