25 de abril de 2018
Artigo
12 de abril de 2018 - 14:25

Vale a pena confinar bezerros no período seco

Artigo do consultor Eduardo Gonçalves Batista mostra que fazer recria em confinamento torna possível adquirir bezerros de reposição em época de maior oferta e baixa procura, imprimindo ganho de peso com baixo custo.

Eduardo Batista

É fato que a falta de chuvas compromete a oferta e a qualidade dos pastos. E o que temos observado no País, de alguns anos para cá, são períodos de estiagem cada vez mais secos e prolongados, o que acaba afetando o planejamento da propriedade e, consequentemente, o desempenho de bezerros recriados a pasto. Há uma saída, porém. O pecuarista pode optar por recriar bezerros sob regime de confinamento, excelente alternativa para manter o bom desempenho zootécnico durante a seca. É uma estratégia que contribui, também, para encurtar o ciclo produtivo e melhorar a rentabilidade da fazenda. Antes de achar que essa opção é cara, o pecuarista tem de saber a resposta da seguinte pergunta: quanto custa a arroba produzida de um animal recriado a pasto no período da seca?

É inegável que um bezerro desmamado e recriado a pasto somente com suplementação mineral perde peso na seca. Na melhor das hipóteses, um suplemento com ureia servirá apenas para a manutenção do peso que ele apresentava no fim das águas. Segundo pesquisas, o custo fixo de uma propriedade, que envolve depreciação de pastos, cercas, maquinários e mão de obra, entre outros itens, varia de R$ 1 a R$ 1,20/animal/dia. Tomemos como exemplo o custo fixo de R$ 1/cabeça /dia; uma suplementação mineral com ureia a R$ 0,14/cabeça/dia e um período de suplementação de 150 dias. O custo total nesse período de recria de um bezerro a pasto seria de R$ 171. Supondo que tenhamos boa condição de pastagens, que ainda permita um ganho de 100 gramas por dia. Nesse caso, os animais vão ganhar 15 kg em 150 dias, ou seja, meia arroba a um custo de R$ 171. Convertendo o custo para 1@ produzida, teremos o valor total de R$ 342 por arroba, mais do que o dobro do valor da arroba do boi gordo negociada na praça de São Paulo no fim de março.

A partir do momento em que o pecuarista se dá conta do elevado custo para se recriar um bezerro a pasto na seca, fica mais fácil discutir alternativas zootécnicas pouco cogitadas, como a recria em confinamento. Há, ainda, várias outras vantagens neste método. Uma delas é imprimir um ganho de peso igual ao obtido no período das águas a pasto, com baixo custo. Se tomarmos como base um bezerro de 7 a 10 meses, desmamado ou comprado em julho, a meta de ganho de peso é de 750 gramas/dia. O período pode variar, dependendo de cada propriedade. No geral, alojamos os animais no fim de julho, permanecendo estes confinados até o início das águas, entre o fim de outubro e começo de novembro – 120 dias, em média.

A matéria completa está na edição de abril da Revista DBO. Assinantes também podem lê-la na edição digital.

Fonte: Revista DBO 450

Comentário