18 de dezembro de 2017
Carne
2 de janeiro de 2017 - 17:07

Exportação de carne bovina reage em dezembro

No acumulado do ano, os embarques ficaram em linha com o resultado alcançado em 2015, em volume e faturamento

Após dois meses consecutivos de queda nas exportações de carne bovina in natura brasileira, os embarques voltaram a crescer em dezembro ante o mês anterior em volume e em faturamento, segundo os dados divulgados nesta segunda-feira, 2, pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). Apesar do avanço na comparação mensal, em relação ao mesmo período de 2015, o cenário é de queda.

As vendas externas de carne de frango avançaram em dezembro em relação a novembro, mas recuaram ante dezembro de 2015. As de suínos recuaram em relação ao mês anterior, mas foram maiores na comparação com o mesmo mês do ano anterior. 

No acumulado do ano, os embarques de carne bovina ficaram em linha com o resultado alcançado em 2015, em volume e faturamento. Os de frango superaram os do ano anterior em quantidade, mas tiveram uma receita menor. Já os de suíno avançaram no ano, em ambos os quesitos. 

Assim, em carne bovina in natura foram exportadas 87,3 mil toneladas, 16% menos do que as 104 mil toneladas de dezembro de 2015, mas 15,2% acima das 75,8 mil toneladas embarcadas em novembro último. A receita somou US$ 365,9 milhões, 15,4% menos do que os US$ 432,7 milhões obtidos em dezembro de 2015, mas alta de 8,9% ante os US$ 336,1 milhões de novembro. O preço médio pago pela tonelada, no entanto, caiu 5,4% ante novembro passado, de US$ 4.432,80/t, para US$ 4.193,40, e ficou 0,8% acima em relação à média de US$ 4.161,9/t de dezembro de 2015.

Os embarques de carne de frango in natura, por sua vez, somaram 326,8 mil toneladas, 9,8% menos ante dezembro de 2015, quando foram embarcadas 362,1 mil toneladas. Na comparação com novembro, no entanto, quando foram exportadas 292,7 mil toneladas, a alta foi de 11,7%. O faturamento atingiu US$ 498,6 milhões, 5,5% abaixo dos US$ 527,7 milhões registrados em igual período de 2015 e 10,1% superior à receita de US$ 452,9 milhões de novembro.

O preço médio da tonelada embarcada, de US$ 1.525,5 ficou 1,4% abaixo do registrado no mês anterior (US$ 1.547,40) e 4,7% maior em comparação com igual mês de 2015.

Já as vendas externas de carne suína in natura totalizaram 43 mil toneladas - o menor volume desde janeiro -, 14,3% mais que as 37,6 mil toneladas embarcadas em dezembro de 2015, mas 26,2% abaixo das 58,3 mil toneladas de novembro/2016.

A receita somou US$ 97,7 milhões, alta de 36,3% ante os US$ 71,7 milhões registrados em igual mês do ano anterior, mas queda de 36,1% ante os US$ 152,9 milhões de novembro. No mês passado, o preço médio da tonelada ficou em US$ 2.269,5, queda de 13,4% ante US$ 2.620,7/t em novembro, mas alta de 19,1% ante os US$ 1.905,6/t em dezembro de 2015.

No acumulado de 2016, as vendas de carne bovina totalizaram 1,077 milhão de toneladas, ante 1,080 milhão de toneladas em 2015. O faturamento ficou em US$ 4,350 bilhões este ano, 6,7% menor que os US$ 4,664 bilhões obtidos de 2015.

No que tange às vendas externas de carne de frango in natura, houve alta de 2% no volume, para 3,960 milhões toneladas, ante 3,888 milhões toneladas. Em faturamento, a queda foi de 4,5%, de US$ 6,231 bilhões para US$ 5,948 bilhões.

Também no acumulado do ano, o faturamento com as exportações de carne suína in natura avançou 15,5%, atingindo US$ 1,349 bilhão ante US$ 1,168 bilhão em 2015. Em quantidade, o avanço foi de 33%, passando de 472,7 mil toneladas para 628 mil toneladas.

Fonte: ESTADÃO CONTEÚDO

Comentário