“A carne bovina deve se manter em preços mais elevados. E aves e suínos também”, diz Ricardo Santin, da ABPA

Para o presidente da entidade, mesmo se houver alguma redução no varejo, as cotações na ponta do consumo ainda serão firmes em 2021

“A carne bovina deve se manter em preços mais elevados. E aves e suínos também”, afirmou Ricardo Santin, presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), na manhã desta quarta-feira (9/12). A ABPA, que reúne dados do setor de suínos e aves, incluindo o mercado de ovos, apresentou as previsões para o fechamento de 2020 e as perspectivas para 2021.

De acordo com Santin, o mercado de carne bovina aquecido para o próximo ano pode carrear preços para as carnes de suínos e aves, mesmo que eles venham em patamares menores, por conta do poder aquisitivo da população.

“A carne bovina veio mais cara em 2020. Para o próximo ano, mesmo que haja redução do quilo da picanha, de R$ 120 para R$ 100, isso ainda vai manter as carnes suínas e de aves aquecidas”, afirma Santin.

Neste ano, a produção de carne de frango deve fechar entre 13,7 milhões e 13,8 milhões de toneladas, das quais 9,5 milhões destinadas ao mercado interno. Isso equivale a 45 quilos per capita, um aumento de 5% ante 2019. 

De suínos, a produção estimada para 2020 é de 4,2 milhões a 4,3 milhões de toneladas, das quais cerca de 3,2 milhões estão ficando no mercado interno. O consumo per capita permanece inalterado desde o ano passado, em 15,3 quilos. Para comparação, o consumo interno de carne bovina foi de 38,4 quilos per capita em 2019, segundo a Associação Brasileira da Indústria Exportadora de Carne Bovina (Abiec). Os dados de 2020 serão apresentados na próxima semana.

As estimativas otimistas da ABPA  para o mercado de carnes estão em linha com o que esperam para a economia do País.  Para o Produto Interno Bruto, com 2,8% de crescimento, pode fechar o próximo ano com R$ 7,5 trilhões; inflação na casa de 3% (IPCA); uma Selic, taxa básica de juro, também de 3%  e um câmbio acima de R$ 5 para o dólar americano.

Leia também

Exportação de frango em novembro sobe 5,6% em volume

Exportação de carne suína cresce 31,7% em novembro ante novembro de 2019

Compartilhe
WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.