“A pastagem é uma agricultura e uma agricultura que tende a ser de precisão”, diz Sérgio De Zen

Para o diretor de política agrícola da Conab, uma das metas da equipe do governo é georreferenciar a produção e a produtividade das áreas de criação de gado

No final desta terça-feira (22/9), o “DBO Entrevista” recebeu o agrônomo Sérgio De Zen, diretor de Política Agrícola e Informações da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). De Zen foi convidado a integrar a equipe da ministra da Agricultura Tereza Cristina em dezembro do ano passado. O cargo na Conab ele assumiu em maio.  O executivo falou sobre armazenamento de grãos, agricultura familiar e o plano para georreferenciar as áreas de pastagens no Brasil, tema abordado no terço final da entrevista. 

“Talvez poucos saibam, mas a Conab tem georreferenciado todos os armazéns de grãos do Brasil, públicos e privados. Interessa saber as quantidades estocadas porque são informações essenciais para a gente ter um balanço de oferta e demanda dentro do mercado brasileiro.”

De acordo com o executivo, “a gestão é para que haja equilíbrio entre a oferta e demanda, porque nos últimos anos o Brasil ganhou uma proeminência enorme na exportação e esse balanço brasileiro de oferta e demanda não é só importante para o País, mas para o mundo também”

De Zen afirma que na Europa e nos Estados Unidos o Estado já não detém os estoques. E que depende de ferramentas do mercado para regularizar o sistema. “A minha função aqui é construir uma base de informação usando aquilo que nós temos e que não estava sendo aproveitado.”

Para ele, a Conab não pode deixar de ter suas atribuições histórias, mas que nos dias atuais as ferramentas de mercado são outras. “Não podemos usar o mesmo remédio que nós usávamos há 30 anos. Nós temos que mudar a dose para a situação atual, onde você tem câmbio flutuante e outras liberdades de mercado. A Conab não toma decisão, cria informação e oferece para os tomadores de decisão.”

Unidade da Conab na Bahia. Foto: divulgação

De Zen também falou do processo histórico de construção de armazéns no Brasil. Neste ano, o governo fechou 27 armazéns, restando 62 ativos, com capacidade estática da ordem de 1,7 milhão de toneladas. Ele diz que é plano do governo tirar da mão do Estado o que for obsoleto e investir em inteligência de mercado. “Veja a ministra com a história do arroz. Em outros tempos poderia tomar uma série de medidas atabalhoadas. O Estado brasileiro, dessa vez, baixou a taxa  [de importação] para uma quantidade de toneladas de arroz específica. E num prazo para terminar, ou seja, estimamos com relativa precisão. Porque a gente sabe que a próxima safra vai aumentar em cerca de 1 milhão de toneladas.”

“O produtor vai plantar com um câmbio a R$ 5,40 [o dólar] e colher,  segundo o boletim Focus, com câmbio abaixo de R$ 5,00 no ano que vem, uma supersafra e quadro de demanda reduzindo. Então, nós precisamos trabalhar para mitigar e equilibrar o desajuste momentâneo que não pode ser passado para a safra seguinte.”

De Zen também falou sobre a atual safra de grãos, de 257 milhões de toneladas e da consolidação de uma terceira safra no que hoje vem sendo chamado de Sealba, denominação para as áreas de produção de grãos nos Estados de Sergipe, Alagoas e Bahia, e que já responde por 3,5% da produção nacional. Também falou sobre o georreferenciamento de soja e milho, realizado pelo governo e disse que o georreferenciamento de pastagem está no foco de sua equipe. 

Pecuária na pauta

“A gente está investindo e a Conab vai ter que ter estatística também de pecuária.  Ela faz parte do ciclo produtivo. A gente tem 300 produtos e tem que incorporar os produtos da pecuária. Afinal de contas, é quase metade do PIB agrícola e a gente tem que ter dados para isso.” Atualmente, de acordo com o IBGE, há  cerca de 200 milhões de hectares de pastagens nativas ou implantadas, dos quais estima-se que cerca de 130 milhões estejam degradados e necessitem de alguma intervenção para reverter seu estado.

No georreferenciamento é medida a área de produção e a produtividade, dando base de análise seguras. De Zen afirma que o trabalho não é apenas do matemático, do econometrista e do economista. É necessário o apoio do agrônomo, do  veterinário e do zootecnista. Porque não existe modelagem matemática e não seja a contemplação da realidade. “Então eu preciso ter uma multidisciplinaridade das equipes e estamos conversando nesse sentido.”

 

“Eu brinco brinco com a equipe que a gente vai ter que acompanhar a pecuária de corte e leite, porque em alguns casos consomem soja o ano inteiro na suplementação.” O executivo ressalta que uma pecuária de corte moderna tem o creeping para o bezerro, a IATF, a escolha da genética, a suplementação no pasto. “Você tem que desmamar o bezerro com mais de 220 quilos e depois uma recria e uma engorda relativamente curtas. E tem o período de 90 dias para dar o acabamento de gordura que demanda grãos. Então,  existe uma integração no sistema produtivo que é fantástico.”

E que o georreferenciamento deve mostrar muitas realidades que hoje são percebidas. “Se você tem uma pastagem no sistema produtivo pecuário e produz 20 arrobas por hectare, você acha que essa área vai ser transferida para qualquer outros tipo de atividade?” Para ele, nem toda área de pastagem irá para a agricultura e que mesmo assim ela  pode ser competitividade

Além disso, De Zen atenta para uma gestão mais refinada da atividade e o seu reconhecimento. “Um bom gestor de pecuária de leite, em primeiro lugar, em seguida de corte, consegue gerenciar qualquer coisa”. Os sistemas produtivos do leite e da carne bovina são os mais complexos que existem para gerenciar. “A pastagem é uma agricultura e uma agricultura que tende a ser de precisão.”  

“Então tudo isso mostra que a pecuária está respondendo para que ela se torne viável. Porque produzir proteína emprega gente, agrega valor ao grão.”

Confira abaixo a e entrevista na íntegra

Ω

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura:

Cadastre-se e receba nossas notícias

Todos os dias no seu e-mail melhor conteúdo do agronegócio. 

Quais newsletter você gostaria de receber?
Notícias diárias (resumo do dia)Jornal de Leilões (semanal)