Abate de suínos sobe 5,7% no 1º tri ante o 1º tri de 2020, diz IBGE

Na comparação mensal, foram registrados os melhores resultados para os meses de janeiro, fevereiro e março, determinando assim o melhor 1º trimestre da série histórica, que se iniciou em 1997

Os produtores brasileiros abateram 12,62 milhões de suínos no primeiro trimestre de 2021, desempenho mais elevado para este período do ano e o equivalente a um aumento de 5,7% em relação ao primeiro trimestre de 2020, segundo os resultados das Pesquisas Trimestrais do Abate de Animais, do Leite, do Couro e da Produção de Ovos de Galinha, divulgada nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com o quarto trimestre de 2020, houve elevação de 0,6%.

SAIBA MAIS:
+“Área livre de aftosa sem vacinação desafia a todos”, alerta o presidente do Fundesa

Na comparação mensal, foram registrados os melhores resultados para os meses de janeiro, fevereiro e março, determinando assim o melhor 1º trimestre da série histórica, que se iniciou em 1997.

O mês de março de 2021 marcou também o melhor resultado mensal de abate de toda a pesquisa, concomitantemente ao resultado recorde de exportações de carne suína in natura, de acordo com a Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia.

Foram abatidas 677,63 mil cabeças de suínos a mais no primeiro trimestre de 2021, em relação ao mesmo período de 2020, com aumentos em 14 das 25 Unidades da Federação participantes da pesquisa.

Os avanços mais relevantes ocorreram em Santa Catarina (+223,97 mil cabeças), Paraná (+211,03 mil), Rio Grande do Sul (+126,95 mil), Mato Grosso do Sul (+83,26 mil) e Minas Gerais (+42,63 mil). As principais quedas foram registradas em São Paulo (-23,24 mil), Mato Grosso (-13,57 mil) e Goiás (-1,64 mil).

Santa Catarina manteve a liderança no abate de suínos, com 28,9% da participação nacional, seguido por Paraná (20,3%) e Rio Grande do Sul (17,5%).

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

O novo horizonte da silagem de cana

VEJA os destaques da edição de junho e o Especial Suplementação; na capa, a silagem de cana retorna com mais qualidade aos confinamentos como alternativa vantajosa em tempo de milho e subprodutos caros

O novo horizonte da silagem de cana

VEJA os destaques da edição de junho e o Especial Suplementação; na capa, a silagem de cana retorna com mais qualidade aos confinamentos como alternativa vantajosa em tempo de milho e subprodutos caros

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.