Abertura indonésia acirra concorrência com a Austrália

País da Oceania é o principal fornecedor ao mercado indonésio

A abertura do mercado da Indonésia para as carnes brasileiras anunciada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) na última quarta-feira, 28 de agosto, deve acirrar a concorrência do Brasil com a Austrália no mercado internacional de carne bovina. Tradicional concorrente do Brasil em alguns mercados importadores, teoricamente, a Austrália seria o país mais afetado pela entrada do produto brasileiro na Indonésia.

+Carne bovina: Indonésia autoriza importação do Brasil
+Brasil deve exportar 25 mil t de carne à Indonésia
+Metade dos frigoríficos habilitados para Indonésia são da Minerva

Continue a leitura após o anúncio

Hoje, os exportadores australianos são os principais fornecedores da proteína ao mercado indonésio . O país, por sua vez, é o quinto maior importador de carne bovina produzida pela Austrália. Um artigo publicado pelo portal australiano Beef Central questiona justamente os impactos da liberação à carne brasileira ao mercado indonésio.

Segundo o portal, o Brasil trabalhava há anos para conquistar o direito de exportar à Indonésia, e este caminho começou a ser aberto com maior clareza depois que a carne de búfalo da Índia, outro país livre de febre aftosa, foi aprovada em 2016. A Indonésia também está livre de febre aftosa e, segundo o portal australiano, é um mercado de extrema importância para os exportadores da Austrália, sobretudo para indústria situada na região Norte do país.

No entanto, diz o artigo, o forte crescimento da demanda por carne bovina na Indonésia ultrapassará a capacidade da Austrália de suprir todos os segmentos ligados ao setor da bovinocultura. “A entrada do Brasil implicará maior pressão competitiva à Austrália, mas ambos continuarão fornecendo carne bovina para um mercado em expansão, disse a Meat & Livestock Australia”.

Segundo a Beef Central, a entrada da carne bovina brasileira no país deve ter impacto modesto sobre os embarques australianos. “As exportações continuarão crescendo no longo prazo, pois a Indonésia exige cada vez mais importações para alimentar a crescente necessidade de consumo”, afirma o texto.

No ano fiscal 2018/19, a Austrália enviou uma ampla gama de produtos à Indonésia, incluindo gado vivo, carne congelada, resfriada e miúdos, resultando em uma receita recorde de 1,12 bilhão dólares australianos – o quinto mercado mais valioso para a indústria pecuária local.

O artigo também destaca as limitações brasileiras no mercado internacional de carne bovina. A Beef Central ressalta que o Brasil, embora esteja expandindo a sua presença na Ásia, ainda sofre restrições em alguns mercados importantes, principalmente no Japão e da Coreia do Sul, devido ao seu status de livre de febre aftosa com vacinação.

O consumo total de carne bovina na Indonésia aumentou 24% nos últimos quatro anos e, de acordo com estimativa da OCDE-FAO, crescerá 10% nos próximos cinco anos. Atualmente, contudo, o país ainda mantém um consumo de apenas 1,98 quilos por pessoa.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Revista DBO – Saindo na frente

Confira a edição de setembro, que traz o “Especial de Genética e Reprodução” com 7 reportagens exclusivas, além de outras 21 reportagens e análises sobre o mundo da pecuária

Revista DBO – Saindo na frente

Confira a edição de setembro, que traz o “Especial de Genética e Reprodução” com 7 reportagens exclusivas, além de outras 21 reportagens e análises sobre o mundo da pecuária

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Conteúdo original Revista DBO