Abraleite obtém avanço no reconhecimento do leite a2

Informação poderá constar nos rótulos de produtos lácteos, mas entidade quer tratamento equitativo ao leite sem lactose
Foto: Divulgação

Em nota, a Abraleite comemora a autorização do Ministério da Agricultura para que constem nos rótulos de produtos lácteos origem e composição do leite contendo somente a beta-caseína a2. 

“Após 2 anos desde sua primeira manifestação e trabalho persistente na busca da regulamentação da rotulagem do leite a2, a Abraleite, que esteve em diversas reuniões e apresentou vários ofícios, documentos e pareceres para o Dipoa (SDA) no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e para a Anvisa, finalmente recebeu do Mapa a confirmação sobre a regulamentação da origem de vacas a2a2 nos rótulos de produtos lácteos.

Continue a leitura após o anúncio

O leite a2 existe comercialmente no exterior desde 2003 e o Brasil apenas agora reconhece oficialmente a denominação de origem para vacas com caseína a2a2.

Para essa inclusão, é fundamental a certificação do rebanho e industrialização do leite oriundo de vacas a2a2.

Ainda assim, a vitória da Abraleite não está completa.

Ainda não é possível ser feita menção ao leite a2, ou mesmo explicar ao consumidor o que esse leite traz de diferença nos rótulos. Em outros países esse foi um processo bastante simples, onde uma única frase resume o diferencial – “Easier on digestion”.

A Abraleite, através de sua Comissão do Leite e Derivados A2, está solicitando ao Mapa tratamento jurídico e de entendimento equitativo ao leite sem lactose, já que as semelhanças são grandes.

A vitória foi importante para classe produtora de leite, para a indústria láctea e para os consumidores de todo o país, mas a Abraleite continua empenhada em concluir a regulamentação de rotulagem para o leite a2 junto às autoridades do Mapa e Anvisa.”

Abaixo, o documento enviado à Abraleite pelo secretário de Defesa Sanitária: 

Prezado Senhor,
 Em atenção ao Ofício n° 0011/2019, de 06/05/2019, no qual se solicita autorização para que constem nos rótulos de produtos lácteos origem e composição do leite contendo somente a beta-caseína a2, informamos que, após consulta à área técnica, esta Secretaria não se opõe à utilização de dizeres na rotulagem que façam referência sobre a origem do leite, desde que a mesma possa ser comprovada.
No que se refere à possibilidade de inclusão na rotulagem de alegação funcional do leite oriundo de vacas A2A2, o tema possui interface com competências da Anvisa, dessa forma, informamos que o mesmo será discutido em reunião presencial com essa Associação, Dipoa e Anvisa, em data a ser agendada.
 Atenciosamente,
José Guilherme Tollstadius Leal

 

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Conteúdo original Revista DBO