Abramilho vê com serenidade importação do grão, mas pede plano estratégico

De um ano para cá, os preços do milho dispararam no mercado interno por causa da demanda aquecida pelo grão

Em nota oficial divulgada nesta sexta-feira, a Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho) comentou ver “com serenidade” a eventual importação de milho de países de fora do Mercosul, “sobretudo dos Estados Unidos”, como reforço momentâneo para o abastecimento interno. Além disso, comentou que, “em relação à transgenia, as decisões da CTNBio têm como base a ciência”.

Ressaltou, entretanto, que, diante do cenário de consumo cada vez maior do grão no País e para exportações (por meio de carne suína e de frango), “é de fundamental importância impulsionar a produção nacional”. “Para tanto, a entidade acredita que o Brasil precisa de um plano estratégico, que tenha apoio direto do governo, de incentivo ao cultivo do grão”, acrescentou.

“O produtor precisará do suporte de um plano, ancorado em novas tecnologias, seguro rural, crédito equilibrado, mecanismos didáticos e eficientes de comercialização antecipada, entre outros pontos.”

A entidade disse, ainda, que mantém “diálogo constante com representantes da cadeia produtiva de suínos e frangos de corte, recomendando, sempre que seja possível, a compra antecipada de milho, a fim de garantir o abastecimento do setor de proteína animal”.

VEJA TAMBÉM | A pergunta do pecuarista é: “até onde vai o preço do milho?”

De um ano para cá, os preços do milho dispararam no mercado interno por causa da demanda aquecida pelo grão. A China importou quantidades recordes de carne de frango e suína – cujo principal insumo é o milho -, o que reforçou a demanda interna pelo grão para as criações. Além disso, há baixos estoques do grão e a safra de inverno enfrenta problemas climáticos.

Diante desse cenário, o setor produtivo solicitou a autorização para importação de milho de países de fora do Mercosul e a CTNBio avalia a possibilidade de liberar a importação de grão transgênico dos EUA, pois as variedades transgênicas cultivadas aqui são diferentes das de lá.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Boi-safrinha de cara nova

CONFIRA os destaques da edição de outubro da Revista DBO; na capa, as novidades deste versátil sistema de produção

Boi-safrinha de cara nova

CONFIRA os destaques da edição de outubro da Revista DBO; na capa, as novidades deste versátil sistema de produção

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.