Aftosa: Adiar o fim da vacinação mostra seriedade, afirma Sindan

Em nota, a entidade ressalta que os Estados precisam de mais tempo para preparar suas estruturas de fronteira

O Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan) classificou como “responsável” a decisão das autoridades sanitárias do Acre e de Rondônia de acatarem à sugestão do Ministério da Agricultura para adiar a suspensão da vacinação contra a febre aftosa, inicialmente prevista para maio deste ano.

Em nota, a entidade ressalta que os Estados precisam de mais tempo para preparar suas estruturas de fronteira e que países limítrofes da região Norte, entre eles a Venezuela, ainda enfrentam “desafios sanitários” relacionados à doença.

Continue a leitura após o anúncio

“O Sindan apoiou a decisão, considerando a complexidade do desafio. Aliás, o PNEFA prevê eventuais ajustes no cronograma. Isso mostra a seriedade das autoridades federais e estaduais e que a decisão de suspender a vacinação obrigatória está sendo levada de forma muito responsável, considerando uma série de fatores internos e externos”, afirma o Sindicato em nota.

De acordo com a entidade, o status de livre de aftosa com vacinação atualmente vigente no país “abre as portas de mais de 180 países para carnes brasileiras”. “Sendo assim, a decisão de suspender a vacinação agora em Maio seria muito arriscada, o que foi compreendido pelas autoridades”, conclui a nota.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.