Alimentos seguraram a inflação no mês de junho, aponta CNA

Preço das frutas caiu, em média, 6,14%

Análise realizada pela CNA com base  nos dados de inflação divulgados pelo IBGE esta semana apontam que o comportamento dos preços dos alimentos mais uma vez foi fundamental para segurar a inflação em junho

Continue a leitura após o anúncio

De acordo com o IBGE, o IPCA do mês passado foi de 0,01% em relação a maio. O grupo Alimentação e Bebidas teve deflação de -0,25%, gerando impacto de -0,06% na inflação oficial.

Quando considerados apenas o consumo de alimentos em domicílio, esse recuo foi de 0,39%, com destaque para as quedas do feijão carioca e rajado (14,8%), preto (8,2%) e mulatinho (6,1%), devido ao incremento de área plantada e boa produtividade.

Já o preço das frutas caiu, em média, 6,14%, sendo as maiores quedas observadas na tangerina (19,35%), maracujá (15,02%), morango (9,29%), banana prata (4,41%) e banana maçã (4,31%) pela ampliação de oferta e condições climáticas favoráveis.

Em relação ao preço do pescado, houve uma queda de 2,19%. O recuo foi puxado pelo aumento de oferta e baixa do preço pago ao produtor. A batata inglesa e os ovos tiveram retrações de 1,34% e 1,14%, respectivamente.

Os itens com as maiores altas observadas foram os de: tomate (5,25%), alho (5,24%), frango em pedaços (2,72%), frango inteiro (1,67%), leite longa vida (0,72%) e carnes (0,47%, sendo a carne suína com maior alta, de 4,56%).

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.