Angus abre teste de eficiência alimentar de 18 touros em Bagé

Objetivo é identificar quais são os animais mais eficientes, ou seja, que comem menos e têm um aproveitamento melhor do alimento
Foto: Leandro Lunardini

Após 20 dias em período de adaptação à dieta e às instalações, os 18 touros Angus que participam do Teste de Eficiência Alimentar, promovido pela Associação Brasileira de Angus e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), deram início nesta quarta-feira (15/7) à fase de avaliação da prova.

Durante 70 dias serão analisados o Consumo Alimentar Residual (CAR), o ganho de peso, a Área de Olho de Lombo (AOL), a Espessura de Gordura Subcutânea na Picanha (EGP), a Espessura de Gordura Subcutânea de Costela (EGS), o perímetro escrotal e outras características. O objetivo é identificar animais mais eficientes, ou seja, que comem menos e têm um aproveitamento melhor do alimento.

Continue a leitura após o anúncio

No período de adaptação, os exemplares obtiveram um ganho médio de peso de 2,5 quilos, conforme a pesquisadora da Embrapa Pecuária Sul e uma das coordenadoras da prova Renata Suñe. “Eles tiveram uma adaptação excelente e estão prontos para fase de avaliação”, afirmou.

De acordo com a pesquisadora, o consumo está ocorrendo de forma constante e equilibrada. “Diariamente temos um gráfico que nos mostra o quanto de comida cada touro consumiu e em qual horário foi ao cocho. Inclusive, percebemos algumas preferências dos animais por horários do dia”, diz. Na fase de avaliação, os animais seguirão com dieta com silagem de milho, feno e ração comercial.

Segundo o médico veterinário e gerente de Fomento da Angus, Mateus Pivato, as instalações de confinamento da Embrapa Pecuária Sul, em Bagé (RS), contribuíram para que os animais se adaptassem da melhor forma ao ambiente e à alimentação.

Apesar da chuva que ocorreu nos últimos dias, eles estão muito bem, em um ambiente com parte coberta e outra com boa incidência de sol“, diz.

Pivato ressalta que os ganhos obtidos até agora são excelentes e aumentam as expectativas para o resultado final do teste.

“Não temos dúvida de que a prova nos trará informações importantes para avaliação do ganho de peso residual e consumo alimentar residual que nos permitam identificar reprodutores diferenciados”, diz.

Participam da prova exemplares da Cia Azul Agropecuária, GAP Genética e Rincón Del Sarandy, todas de Uruguaiana (RS); LS Guarita, Cabanha Santo Antão e Fazenda Reconquista, de Alegrete (RS); além de Progresso do Tarumã, de Manoel Viana (RS), Fazenda da Barragem, de Dom Pedrito (RS), Fazenda Sinuelo, de Aceguá (RS), Tólio’s Farm, de Formigueiro (RS), e Cabanha Santa Nélia, de Jaguarão (RS).

Fonte: Jardine Comunicação

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Conteúdo original Revista DBO