Menu
Menu

Austrália eleva embarques de carne bovina para China

Vendas ao mercado chinês cresceram 60% no acumulado de janeiro a maio ante igual período de 2018

A China vem se firmando cada vez mais como um grande cliente de longo prazo para a carne bovina da Austrália. No acumulado de janeiro a maio, os importadores chineses compraram 95,4 mil toneladas do produto australiano, ante 59,4 mil toneladas registradas em igual período do ano passado, o que representou um forte aumento de 60%.

Entre os países fornecedores de carne vermelha para a China, o maior concorrente da Austrália hoje é justamente o Brasil, que também tem aumentado consideravelmente os seus embarques para o gigante asiático.

A Austrália é o terceiro maior exportador mundial da commodity atrás do Brasil e da Índia, conforme dados publicados no Anuário DBO 2019, que circulou em janeiro deste ano.

Em maio último, as exportações australianas para o mercado chinês cresceram 7% na comparação com o mês anterior, refletindo sobretudo a extensa liquidação de bovinos em áreas extremamente secas do leste do país, informou o portal Beef Central.

Os embarques da Austrália totalizaram 105,5 mil toneladas em maio, o volume mais alto desde agosto do ano passado, quando atingiu 106 mil toneladas. Porém, as exportações no período ficaram abaixo das 109,7 mil registradas em igual mês de 2018.

No acumulado de janeiro a maio, as vendas externas australianas alcançaram 469 mil, 8% acima da quantidade verificada no mesmo período de cinco meses do ano passado.

Segundo a reportagem da Beef Central, estima-se que os volumes de produção de carne bovina diminuam gradualmente até o final do ano, caso permaneça o clima seco nas regiões pecuárias, já que o estoque disponível de gado para abate está se esgotando.

Mercado japonês

O Japão continua sendo o maior cliente da Austrália, com compras de 26,8 mil toneladas em maio, um aumento de 21% em relação às exportações de abril, mas abaixo das 31 mil toneladas comercializadas em maio do ano passado.

No acumulado dos cinco meses do ano, o Japão importou 114.7 mil toneladas de carne bovina australiana, uma queda de 11 toneladas sobre o volume observado no mesmo período em 2018.

O mês de abril representou o início do novo acordo tarifário fechado com o Japão. Portanto, as exportações da Austrália nos últimos dois meses foram beneficiadas com mais reduções tarifárias. A partir de 1º de abril, sob o Acordo Global e Progressivo para Parceria Transpacífica (CPTPP), a tarifa de exportação de carne bovina refrigerada e congelada da Austrália para o Japão caiu para 26,6%, abaixo das taxas de 29,3% (carne refrigerada) e 26,9% (congelada) do ano passado. No próximo ano, essa taxa ainda será reduzida para 25,8%.

Enquanto isso, os Estados Unidos, sem um acordo equivalente com o Japão, continuam a pagar 38,5% para exportar carne bovina ao seu maior cliente. De acordo com informações da Beef Central, os norte-americanos importaram 23,3 mil toneladas de carne bovina australiana, uma alta de 8% em relação ao mês anterior, e 3% acima de maio do ano passado. No acumulado de janeiro a maio, os embarques para os EUA alcançaram 102,9 mil toneladas, um aumento 4% sobre mesmo período do ano passado.

As exportações para a Coreia do Sul, o quarto maior importador mundial da carne bovina australiana, chegaram a 13,5 mil toneladas em maio, queda de 7% em relação ao mês de abril, e uma quantidade semelhante ao volume de maio do ano passado. No acumulado deste ano, o volume atingiu 66,5 mil toneladas, aumento de quase 8% sobre os mesmos cinco meses em 2018.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on skype
Skype
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on email
Email
Share on tumblr
Tumblr
Share on print
Print

Veja também:

Um panorama da pecuária do norte do MT

Última etapa do “Acrimat em Ação 2019”, acompanhada por DBO, visitou municípios do norte do MT, onde os pecuaristas lidam com estradas ruins e insumos caríssimos. Em alguns locais, o valor do calcário é quase proibitivo. 

Você precisa adquirir uma de nossas assinaturas.

Invista no básico bem feito

Pecuaristas, mesmo tecnificados, ainda pecam no manejo por não fazer planejamento, estabelecer metas e criar calendário de ações.

Café com frio

Especialista dá dicas de como evitar problemas com o frio no cafezal, cultura que gosta de “cabeça quente e pés frios”

SOBRE A MÍDIA DBO

A DBO Editores Associados, fundada em junho de 1982, sempre se caracterizou como empresa jornalística totalmente focada na agropecuária. Seu primeiro e principal título é a Revista DBO, publicação líder no segmento da pecuária de corte. O Portal DBO é uma plataforma digital com as principais notícias e conteúdo técnico dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da cobertura dos leilões de todo o Brasil.

ANUNCIE DBO

Acompanhe aqui o vídeo da edição mais recente da Revista DBO. Para ver os destaques das outras edições, basta clicar aqui.

ASSINE A REVISTA DBO

Revista DBO Ligue grátis: 0800 110618 (Segunda a sexta, das 08h00 às 18h00)

2018 DBO - Todos os direitos reservados

×
×

Carrinho