Bayer pretende concluir compra da Monsanto até quarta

Nome Monsanto deixará de existir e todo o portfólio da empresa será absorvido pela Bayer

A Bayer planeja concluir a aquisição da Monsanto em 7 de junho, após o recebimento de todas as aprovações exigidas pelas autoridades regulatórias. “A aquisição da Monsanto é um marco estratégico para o fortalecimento de nosso portfólio de negócios líderes em saúde e nutrição. Dobraremos o tamanho de nosso negócio agrícola e criaremos um motor líder de inovação na agricultura, permindo atender melhor nossos clientes e liberando o potencial de crescimento de longo prazo no setor”, disse Werner Baumann, presidente do Conselho de Administração da Bayer AG.

A Bayer anunciou sua intenção de adquirir a Monsanto em maio de 2016 e assinou um contrato com a empresa norte-americana no valor de US$ 128 por ação em setembro de 2016. Atualmente, isso corresponde a um custo total de aproximadamente US$ 63 bilhões, levando em consideração as dívidas pendentes da Monsanto em vigor em 28 de fevereiro de 2018. Em conexão com o abrangente processo de aprovação regulatória, a Bayer concordou com o desinvestimento de negócios que geraram EUR 2,2 bilhões em vendas em 2017 por um preço-base de compra agregado de EUR 7,6 bilhões. Incluindo a Monsanto e levando em consideração os desinvestimentos, os negócios de saúde e agricultura teriam sido praticamente iguais em tamanho em 2017, com vendas totais pro forma de cerca de EUR 45 bilhões, incluindo as vendas combinadas da Crop Science, de cerca de EUR 20 bilhões. Em 2017, as duas empresas juntas empregavam aproximadamente 115 mil pessoas, incluindo os desinvestimentos.

A aquisição deve gerar valor significativo. A Bayer espera uma contribuição positiva ao lucro básico por ação a partir de 2019. A partir de 2021, essa contribuição deverá ser de dois dígitos percentuais. Além disso, ajustadas de acordo com o efeito dos desinvestimentos, a partir de 2022 a Bayer espera que as sinergias proporcionem contribuições anuais de US$ 1,2 bilhão ao EBITDA antes de itens especiais.

Para adquirir a Monsanto, a Bayer obteve um financiamento inicial de US$ 57 bilhões. Conforme anunciado em setembro de 2016, esse montante está sendo refinanciado por meio de uma combinação de operações de ações e dívidas, algumas das quais já foram concluídas. A medida final de equidade será uma questão de direitos, que foi anunciada ontem.

A Bayer se tornará a única acionista da Monsanto a partir de 7 de junho. De acordo com a aprovação condicional do Departamento de Justiça dos Estados Unidos, a integração da Monsanto com a Bayer pode ocorrer assim que os desinvestimentos para a BASF forem concluídos. Isso deve ocorrer em aproximadamente dois meses. “Nos preparamos diligentemente para a integração ao longo dos dois últimos anos. Nossa ampla experiência na integração de outras grandes empresas provou que podemos e seremos bem-sucedidos”, disse Baumann.

O nome da empresa continuará sendo Bayer. Monsanto não será mais um nome de empresa. Os produtos adquiridos manterão suas marcas e farão parte do portfólio da Bayer.

Fonte: Bayer

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on skype
Skype
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on email
Email
Share on pocket
Pocket

Posts Relacionados:

Menu

GALERIA DE FOTOS DO INSTAGRAM

Acompanhe e compartilhe:

Fechar Menu
×
×

Carrinho