BNDES diz estar estruturando linha para RenovaBio e incentivo à emissão de CBIOs

Informação é do chefe do Departamento do Complexo Agroalimentar e Biocombustíveis do banco, Mauro Mattoso

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vem estruturando uma linha para o desenvolvimento do Programa de Estímulo aos Biocombustíveis (RenovaBio) e incentivo às emissões de Créditos de Descarbonização (Cbios). A informação é do chefe do Departamento do Complexo Agroalimentar e Biocombustíveis do banco, Mauro Mattoso.

“A ideia é financiar as usinas e estabelecer para elas uma meta de emitir determinada quantidade de CBIOs, dentro de um prazo de 6 a 8 anos”, disse Mattoso em webinar realizada pela Datagro na noite da quinta-feira. Mattoso explicou que a linha teria também um mecanismo de estímulo, com a empresa sendo avaliada a cada dois ou três anos e, a depender de seu desempenho, tendo um desconto na taxa de juros.

“Já tínhamos conversado com algumas usinas, Unica (União da Indústria de Cana-de-Açúcar), ANP (Agência Nacional de Petróleo), MME (Ministério do Meio Ambiente), mas aí veio a crise e pegou a gente no caminho. Mas não paramos de discutir a linha, achamos que tem potencial muito grande para estimular a emissão de Cbios”, afirmou.

Segundo Mattoso, antes da crise do novo coronavírus, em janeiro e fevereiro, havia o objetivo de “colocar a linha na rua” até o fim do primeiro semestre. “Hoje, não sei dizer”, comentou.

Compartilhe
WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email

Revista DBO | Na vanguarda ambiental

VEJA mais destaques da edição de julho; na capa, Liga do Araguaia entra no “mercado verde”. Alguns produtores já recebem de R$ 250 a R$ 370/ha/ano para manter excedente florestal de pé.

Revista DBO | Na vanguarda ambiental

VEJA mais destaques da edição de julho; na capa, Liga do Araguaia entra no “mercado verde”. Alguns produtores já recebem de R$ 250 a R$ 370/ha/ano para manter excedente florestal de pé.

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.