Boehringer Ingelheim alerta para BVD na estação de monta

Doença impacta a produtividade do rebanho, principalmente durante o período de reprodução
Foto: Divulgação.

Enfermidade altamente prejudicial à pecuária brasileira, a Diarreia Viral Bovina (BVD) é tema de intensos debates sobre a importância da sua prevenção e as severas consequências que ela provoca no rebanho em curto e longo prazos. “Segundo a Organização Internacional de Saúde Animal (OIE), a BVD é uma das doenças que mais impactam negativamente a produção de carne e de leite do mundo, além de confinamentos, tendo o Brasil casos registrados em todo seu território nacional”, informa o médico- veterinário Fernando Dambrós, gerente de produtos da Boehringer Ingelheim Saúde Animal.

Causadora de diversas reações negativas aos sistemas respiratório e reprodutivo dos rebanhos bovinos, especialmente em fêmeas, a BVD é uma virose responsável pelo ataque massivo e consequentes deficiências graves ligadas à reprodução animal, como: repetição de cio, morte embrionária precoce, mumificação fetal, aborto, nascimento de bezerros permanentemente infectados, entre outros.

Continue a leitura após o anúncio

Além dos fatores mencionados, os pecuaristas precisam estar atentos a outro aspecto de grande relevância: o impacto da Diarreia Viral Bovina (BVD) no período da estação de monta. Realizada na época de águas, entre outubro/novembro e janeiro/fevereiro, a estação de monta requer rigoroso controle sanitário do rebanho e bem-estar dos animais para proporcionar o aumento da produção de bezerros, etapa essencial para o sucesso da atividade pecuária.

“A BVD realmente tira o sono e a produtividade de muitos pecuaristas. Porém, muitas vezes os criadores não sabem que ela é a causadora de diversos problemas relacionados à reprodução. Na estação de monta, por exemplo, a BVD pode ter impacto ainda maior por conta de sua imunossupressão, podendo provocar prejuízos enormes aos projetos pecuários”, analisa Fernando Dambrós.

O especialista da Boehringer Ingelheim destaca, ainda, que a BVD tem se manifestado agressivamente em importantes regiões pecuárias do país. “Precisamos combater essa enfermidade tão prejudicial à produtividade da pecuária brasileira. Recentemente, a Boehringer Ingelheim trouxe ao Brasil uma importante ferramenta para prevenção da BVD: a vacina Bovela. Composta por amostras de vírus vivos e extremamente segura para o rebanho, com apenas uma única dose é capaz de imunizar e proteger os animais por até 12 meses. Precisamos estimular o cuidado com a prevenção nesta fase importante, especialmente para as fêmeas”.

A fertilidade e a boa condição corporal das fêmeas, além do desempenho reprodutivo dos touros, são primordiais no sucesso da estação de monta. “A sanidade animal e a produtividade andam lado a lado e complementam-se na busca incessante da maior rentabilidade dos criadores brasileiros”, explica Dambrós.

 

Fonte: Assessoria

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Conteúdo original Revista DBO