Boi gordo: alívio momentâneo nas escalas de abate das indústrias estimula maior especulação no mercado

Na maioria das praças pecuárias, porém, as cotações dos animais terminados seguem firmes, como é o caso de São Paulo, onde a arroba do macho vale R$ 315, a prazo, segundo dados da Scot Consultoria

Nesta quarta-feira, 14 de julho, em algumas praças, os preços do boi gordo apresentaram leves variações, tanto para cima quanto para baixo, informam as consultorias que acompanham diariamente o mercado pecuário brasileiro.

Nas praças paulistas, as cotações dos animais terminados ficaram estáveis em relação aos valores do dia anterior – atualmente, o boi gordo está cotado em R$ 315/@, enquanto a vaca e a novilha valem R$ 294/@ e R$ 310/@, respectivamente (preços brutos e a prazo), segundo dados da Scot Consultoria.

Negócios com bovinos com padrão-exportação (abatidos mais jovens, com até quatro dentes) giram em torno de R$ 320/@, preço bruto e à vista.

Segundo a Scot, as programações de abate das indústrias frigoríficas de São Paulo seguem relativamente confortáveis.

Na avaliação da IHS Markit, o mercado interno do boi gordo apresenta atualmente bastante especulação em relação ao seguimento da dinâmica de negociações da carne bovina durante a segunda quinzena do mês, período marcado pelo enfraquecimento do poder aquisitivo da população (devido ao maior distanciamento do recebimento dos salários de início de mês), o que costuma prejudicar o escoamento da proteína no varejo.

“A ausência da demanda no mercado doméstico da carne bovina permitiu retrações nos preços da arroba em algumas regiões pecuárias, porém sem grande intensidade, em função da apertada margem dos pecuaristas”, avalia a IHS Markit.

No momento, observa a consultoria, é possível registrar maior facilidade de aquisição de animais no Sudeste e Centro-Oeste.

O alto custo dos suplementos força diversos confinadores a vender seus animais, elevando a oferta no mercado, informa a IHS.

Há relatos de plantas no Estado de São Paulo que já fecharam suas escalas de abate até o final de julho, relata a mesma consultoria.

No mercado futuro, o contrato de outubro do boi gordo voltou a subir, e hoje está perto de R$ 330/@, enquanto o vencimento mais próximo segue em linha com as cotações praticadas no mercado físico.

O cenário no mercado pecuário, portanto, é de muita especulação em relação aos próximos dias, ressalta a IHS.

Apesar do aumento de oferta, os analistas dizem que tal o movimento é temporário e, portanto, não há chances de perdurar por muito tempo o comportamento de queda na arroba verificado hoje em algumas regiões do País.

Entre as principais praças pecuárias do Brasil, destaque para variações negativas da arroba no Mato Grosso do Sul, Goiás e Minas Gerais.

De maneira oposta, os patamares de preços registraram altas no Maranhão e Rio de Janeiro. Em relação às vacas, a expectativa de redução do consumo diminui a demanda dos frigoríficos de mercado interno, gerando baixas nos preços em Goiás e Mato Grosso, informa a IHS.

No mercado atacadista brasileiro, os preços dos principais cortes bovinos, assim como do couro e sebo industrial, permaneceram estáveis. A procura por parte das distribuidoras segue lenta e irregular, contrariando as expectativas do mercado.

Cotações máximas desta quarta-feira, 14 de julho, segundo dados da IHS Markit:

SP-Noroeste:

boi a R$ 318/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)

MS-Dourados:

boi a R$ 310/@ (à vista)
vaca a R$ 301/@ (à vista)

MS-C.Grande:

boi a R$ 311/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)

MS-Três Lagoas:

boi a R$ 310/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)

MT-Cáceres:

boi a R$ 305/@ (prazo)
vaca a R$ 295/@ (prazo)

MT-Tangará:

boi a R$ 309/@ (prazo)
vaca a R$ 298/@ (prazo)

MT-B. Garças:

boi a R$ 305/@ (prazo)
vaca a R$ 293/@ (prazo)

MT-Cuiabá:

boi a R$ 306/@ (à vista)
vaca a R$ 290/@ (à vista)

MT-Colíder:

boi a R$ 300/@ (à vista)
vaca a R$ 289/@ (à vista)

GO-Goiânia:

boi a R$ 294/@ (prazo)
vaca R$ 296/@ (prazo)

GO-Sul:

boi a R$ 308/@ (prazo)
vaca a R$ 294/@ (prazo)

PR-Maringá:

boi a R$ 310/@ (à vista)
vaca a R$ 296/@ (à vista)

MG-Triângulo:

boi a R$ 314/@ (prazo)
vaca a R$ 302/@ (prazo)

MG-B.H.:

boi a R$ 310/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)

BA-F. Santana:

boi a R$ 294/@ (à vista)
vaca a R$ 284/@ (à vista)

RS-Porto Alegre:

boi a R$ 340/@ (à vista)
vaca a R$ 330/@ (à vista)

RS-Fronteira:

boi a R$ 340/@ (à vista)
vaca a R$ 330/@ (à vista)

PA-Marabá:

boi a R$ 293/@ (prazo)
vaca a R$ 288/@ (prazo)

PA-Redenção:

boi a R$ 290/@ (prazo)
vaca a R$ 283/@ (prazo)

PA-Paragominas:

boi a R$ 293/@ (prazo)
vaca a R$ 285/@ (prazo)

TO-Araguaína:

boi a R$ 298/@ (prazo)
vaca a R$ 287/@ (prazo)

TO-Gurupi:

boi a R$ 296/@ (à vista)
vaca a R$ 285/@ (à vista)

RO-Cacoal:

boi a R$ 298/@ (à vista)
vaca a R$ 291/@ (à vista)

RJ-Campos:

boi a R$ 295/@ (prazo)
vaca a R$ 284/@ (prazo)

MA-Açailândia:

boi a R$ 288/@ (à vista)
vaca a R$ 265/@ (à vista)

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Revista DBO | Ele quer todo gado na sombra

VEJA os destaques da edição de maio e o Especial Instalações e Equipamentos; na capa, a Agropastoril Campanelli investe em cobertura metálica dos currais e comprova ganho de mais de meia arroba por animal engordado na sombra

Revista DBO | Ele quer todo gado na sombra

VEJA os destaques da edição de maio e o Especial Instalações e Equipamentos; na capa, a Agropastoril Campanelli investe em cobertura metálica dos currais e comprova ganho de mais de meia arroba por animal engordado na sombra

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.