Boi gordo: cotação da arroba cai novamente e chega aos R$ 307 em São Paulo, informa a Scot

Segundo a IHS Markit, as indústrias frigoríficas nas principais praças pecuárias brasileiras não apresentam grande urgência para adquirir animais em função dos avanços nas escalas de abate

Os frigoríficos paulistas abriram as compras desta terça-feira (14/9) pressionando para baixo os preços do mercado interno do boi gordo, informa a Scot Consultoria (Bebedouro, SP).

A cotação de referência para o boi gordo negociado no mercado doméstico recuou R$ 1/@, para R$ 307/@ (preços brutos e a prazo), conforme apurou a consultoria.

A vaca e novilha gordas registraram queda diária de R$ 2/@, para R$ 290/@ e R$ 305/@, respectivamente.

Segundo a IHS Markit, com sede na capital paulista, cada vez mais os frigoríficos brasileiros se encontram fora das compras de gado, conforme a adoção de férias coletivas aumentam, em função da mínima demanda internacional (devido à suspensão dos embarques ao mercado chinês, depois da confirmação de casos de vaca louca no Brasil) e as expectativas de dificuldade de escoamento no mercado interno, devido ao menor poder aquisitivo da população neste período do mês (quando há um maior esgotamento dos salários recebidos pelos trabalhadores).

“Nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e Norte do Brasil, as indústrias frigoríficas não apresentam grande urgência para adquirir animais, em função dos avanços nas escalas de abate, que se encontram entre 10 e 11 dias, encerrando este mês de setembro”, relata a IHS.

Especialmente no Mato Grosso do Sul, continua a IHS, há relatos de plantas frigoríficas que adotaram férias coletivas até o final do mês, aguardando o aquecimento da procura pela proteína brasileira, tanto externamente quanto no mercado local.

Na região Nordeste, a escassez de oferta de boiada gorda persiste, informa a consultoria.

“Os Estados do Nordeste dependem mais de animais terminados a pasto, oferta que não está disponível nesta época do ano, período de entressafra”, justifica a IHS, acrescentando que a região dispõe de um número menor de confinadores em relação aos outros locais do País.

No mercado futuro, todos os contratos do boi gordo negociados na B3 seguem registrando variações positivas, indicando a continuidade do movimento de recuperação de preços, em função das expectativas de retorno das exportações de carne bovina para o continente asiático, diz a IHS.

“Outro fator que colabora para a recuperação dos preços futuros é a força dos dados de embarques computados nas duas primeiras semanas deste mês, que surpreendeu positivamente o mercado”, acrescenta.

Os contratos com vencimento em outubro/21 e novembro/21 avançaram, respectivamente, R$ 1,70 e R$ 3,30, para R$ 303,65/@ e R$ 312,05/@, respectivamente.

O contrato de vencimento mais curto (setembro) também apresentou recuperação, com variação positiva de R$ 3, avançando para R$ 298/@.

No mercado atacadista, os preços dos principais cortes bovinos, assim como do couro e sebo industrial, permaneceram estáveis nesta terça-feira.

O setor relata demanda irregular e lenta, decepcionando as expectativas para a segunda semana do mês, quando era esperada reação do consumo em função do recebimento dos salários, observa a IHS Markit.

Nesta situação, a procura por reposição é reduzida, e os preços da carne bovina se mostram frágeis,  diz a consultoria.

Cotações máximas desta terça-feira, 14 de setembro, segundo dados da IHS Markit:

SP-Noroeste:
boi a R$ 310/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)
MS-Dourados:
boi a R$ 308/@ (à vista)
vaca a R$ 300/@ (à vista)
MS-C.Grande:
boi a R$ 310/@ (prazo)
vaca a R$ 302/@ (prazo)
MS-Três Lagoas:
boi a R$ 310/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)
MT-Cáceres:
boi a R$ 298/@ (prazo)
vaca a R$ 288/@ (prazo)
MT-Tangará:
boi a R$ 300/@ (prazo)
vaca a R$ 290/@ (prazo)
MT-B. Garças:
boi a R$ 298/@ (prazo)
vaca a R$ 288/@ (prazo)
MT-Cuiabá:
boi a R$ 296/@ (à vista)
vaca a R$ 286/@ (à vista)
MT-Colíder:
boi a R$ 295/@ (à vista)
vaca a R$ 284/@ (à vista)
GO-Goiânia:
boi a R$ 298/@ (prazo)
vaca R$ 290/@ (prazo)
GO-Sul:
boi a R$ 300/@ (prazo)
vaca a R$ 292/@ (prazo)
PR-Maringá:
boi a R$ 300/@ (à vista)
vaca a R$ 290/@ (à vista)
MG-Triângulo:
boi a R$ 308/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)
MG-B.H.:
boi a R$ 306/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)
BA-F. Santana:
boi a R$ 298/@ (à vista)
vaca a R$ 288/@ (à vista)
RS-Porto Alegre:
boi a R$ 305/@ (à vista)
vaca a R$ 300/@ (à vista)
RS-Fronteira:
boi a R$ 305/@ (à vista)
vaca a R$ 300/@ (à vista)
PA-Marabá:
boi a R$ 295/@ (prazo)
vaca a R$ 288/@ (prazo)
PA-Redenção:
boi a R$ 294/@ (prazo)
vaca a R$ 288/@ (prazo)
PA-Paragominas:
boi a R$ 296/@ (prazo)
vaca a R$ 285/@ (prazo)
TO-Araguaína:
boi a R$ 298/@ (prazo)
vaca a R$ 287/@ (prazo)
TO-Gurupi:
boi a R$ 295/@ (à vista)
vaca a R$ 287/@ (à vista)
RO-Cacoal:
boi a R$ 295/@ (à vista)
vaca a R$ 294/@ (à vista)
RJ-Campos:
boi a R$ 299/@ (prazo)
vaca a R$ 283/@ (prazo)
MA-Açailândia:
boi a R$ 288/@ (à vista)
vaca a R$ 284/@ (à vista)
Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Revista DBO | Monta curta acelera produtividade

CONFIRA os destaques da edição de setembro da Revista DBO e o ‘Especial Genética e Reprodução’; na capa, veja como duas fazendas de ciclo completo se tornaram modelo de ‘fábrica ideal de produção de bois’

Revista DBO | Monta curta acelera produtividade

CONFIRA os destaques da edição de setembro da Revista DBO e o ‘Especial Genética e Reprodução’; na capa, veja como duas fazendas de ciclo completo se tornaram modelo de ‘fábrica ideal de produção de bois’

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.