Boi gordo: cotação da arroba sobe R$ 2 nas praças paulistas e agora vale R$ 317, informa Scot Consultoria

Expectativa de maior consumo de carne bovina a partir do início de agosto estimula levemente o ritmo dos negócios em SP, mas posição geral das indústrias frigoríficas do País ainda é de cautela

Nesta terça-feira, 27 de julho, a Scot Consultoria detectou uma leve melhoria nos negócios no mercado paulista do boi gordo, o que resultou em valorização de R$ 2/@ na arroba, para R$ 317 (valor bruto e a prazo), na comparação com o preço da última sexta-feira.

Segundo a consultoria, a aproximação da virada do mês – quando entra o dinheiro dos salários nas contas dos trabalhadores – desenham um quadro mais otimista na demanda interna pela carne bovina, atualmente prejudicada pelo baixo poder aquisitivo da população brasileira.

Do lado da oferta, continua a Scot, o volume de animais confinados cresceu ligeiramente, “levando os frigoríficos do Estado de São Paulo a aumentarem as ofertas de compra para manutenção das escalas de abate”.

No entanto, na avaliação da IHS Markit, enquanto agosto não chega, os frigoríficos em todo o Brasil preferem trabalhar com mais cautela, devido à grande dificuldade de escoamento de carne bovina no varejo.

A IHS também registrou elevação de boiada gorda em algumas praças, justificada sobretudo pelas adversidades climáticas que afetam o peso dos animais e os custos com nutrição dos pecuaristas.

SAIBA MAIS | Sistema Nacional de Meteorologia prevê frio intenso em partes do País nos próximos dias

Segundo a consultoria, o Estado do Mato Grosso do Sul e na região Sul do País sofrem com as baixas temperaturas e os registros de fortes geadas.

Na regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, continua a IHS, as programações de abate dos frigoríficos são um pouco mais confortáveis, ao redor de 7 dias.

Nos contratos futuros do boi negociados na B3, há registro de variações positivas em quase todos os vencimentos. Os negócios para out/21 e nov/21 alcançaram R$ 325,45/@ e R$ 328,55/@, respectivamente.

Em relações às vendas externas, os embarques de carne bovina in natura tiveram bom desempenho no acumulado das quatro semanas de julho.

Segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), o volume exportado alcançou 130,49 mil toneladas, com uma média diária de 7,67 mil toneladas/dia, avanço de 4,3% em relação à média de julho/20 e 2,26% superior à média diária do junho/21.

No mercado atacadista, os preços dos principais cortes bovinos e do couro permaneceram estáveis. O sebo industrial, por sua vez, registrou variação positiva de R$ 0,10/kg em função da maior demanda para biodiesel.

Segundo a IHS, os relatos de sobras de carne nos entrepostos ganham força, mesmo com o esforço dos varejistas para o escoamento da produção.

“Tal fator gera grande possibilidade de novas baixas nos preços da carne bovina ao longo desta semana”, observa a consultoria.

Cotações máximas desta terça-feira, 27 de julho, segundo dados da IHS Markit:

SP-Noroeste:

boi a R$ 320/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)

MS-Dourados:

boi a R$ 310/@ (à vista)
vaca a R$ 295/@ (à vista)

MS-C.Grande:

boi a R$ 310/@ (prazo)
vaca a R$ 298/@ (prazo)

MS-Três Lagoas:

boi a R$ 310/@ (prazo)
vaca a R$ 298/@ (prazo)

MT-Cáceres:

boi a R$ 305/@ (prazo)
vaca a R$ 295/@ (prazo)

MT-Tangará:

boi a R$ 308/@ (prazo)
vaca a R$ 295/@ (prazo)

MT-B. Garças:

boi a R$ 304/@ (prazo)
vaca a R$ 291/@ (prazo)

MT-Cuiabá:

boi a R$ 303/@ (à vista)
vaca a R$ 289/@ (à vista)

MT-Colíder:

boi a R$ 300/@ (à vista)
vaca a R$ 290/@ (à vista)

GO-Goiânia:

boi a R$ 302/@ (prazo)
vaca R$ 292/@ (prazo)

GO-Sul:

boi a R$ 305/@ (prazo)
vaca a R$ 295/@ (prazo)

PR-Maringá:

boi a R$ 305/@ (à vista)
vaca a R$ 290/@ (à vista)

MG-Triângulo:

boi a R$ 312/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)

MG-B.H.:

boi a R$ 308/@ (prazo)
vaca a R$ 300/@ (prazo)

BA-F. Santana:

boi a R$ 295/@ (à vista)
vaca a R$ 284/@ (à vista)

RS-Porto Alegre:

boi a R$ 330/@ (à vista)
vaca a R$ 320/@ (à vista)

RS-Fronteira:

boi a R$ 330/@ (à vista)

vaca a R$ 320/@ (à vista)

PA-Marabá:

boi a R$ 295/@ (prazo)
vaca a R$ 288/@ (prazo)

PA-Redenção:

boi a R$ 293/@ (prazo)
vaca a R$ 288/@ (prazo)

PA-Paragominas:

boi a R$ 297/@ (prazo)
vaca a R$ 285/@ (prazo)

TO-Araguaína:

boi a R$ 297/@ (prazo)
vaca a R$ 287/@ (prazo)

TO-Gurupi:

boi a R$ 295/@ (à vista)
vaca a R$ 288/@ (à vista)

RO-Cacoal:

boi a R$ 298/@ (à vista)
vaca a R$ 285/@ (à vista)

RJ-Campos:

boi a R$ 296/@ (prazo)
vaca a R$ 284/@ (prazo)

MA-Açailândia:

boi a R$ 287/@ (à vista)
vaca a R$ 265/@ (à vista)

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Revista DBO | Monta curta acelera produtividade

CONFIRA os destaques da edição de setembro da Revista DBO e o ‘Especial Genética e Reprodução’; na capa, veja como duas fazendas de ciclo completo se tornaram modelo de ‘fábrica ideal de produção de bois’

Revista DBO | Monta curta acelera produtividade

CONFIRA os destaques da edição de setembro da Revista DBO e o ‘Especial Genética e Reprodução’; na capa, veja como duas fazendas de ciclo completo se tornaram modelo de ‘fábrica ideal de produção de bois’

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.