Boi gordo volta a subir em SP e no MT, reforçando a tendência altista do mercado

Frigoríficos sofrem com a escassez de oferta nas regiões pecuárias e precisam pagar mais pela arroba para garantir a chegada nas fábricas de caminhões cheios de boiadas

Depois de abrir a semana em ritmo de lento, o mercado do boi gordo registrou nesta quarta-feira (23/9) um movimento mais consistente nos negócios, resultando em uma nova rodada de valorizações da arroba em algumas importantes regiões pecuárias do País.

A consultoria IHS Markit apurou elevação no preço da boiada gorda de São Paulo, o maior centro consumidor de carne bovina do País, e referência de preço para outras praças pecuárias. Nesta quarta-feira, o valor máximo de venda observado na praça paulista foi de R$ 254/@, a prazo, superando em R$ 3/@ a cotação máxima registrada no dia anterior.

No Mato Grosso, responsável pelo maior rebanho bovino do Brasil, o dia também foi de valorizações na arroba. Destaque para acréscimo de preço da boi de Cuiabá, que também sofreu reajuste de R$ 3/@, chegando a R$ 235/@, à vista (veja os valores da arroba nas demais praças pecuárias no final desta página).

Nos Estados de Mato Grosso, São Paulo, Goiás e Paraná, frigoríficos exportadores se posicionaram de forma firme no mercado, aumentando as cotações oferecidas para conseguir preencher as suas programações de abate”, relata a IHS Markit.

Com as exportações se mantendo em ritmo aquecido, plantas frigoríficas habilitadas para embarques têm de pagar mais caro pela matéria prima para conseguir atender a forte demanda internacional pela carne brasileira, puxada principalmente pela atuação chinesa, acrescenta a consultoria.

A baixa disponibilidade de animais terminados é o principal fator das valorizações acumuladas da arroba nos últimos meses. Nesta quarta-feira, frigoríficos se posicionaram mais ativos nos negócios, aumentando os valores oferecidos pelas boiadas prontas, informa a IHS Markit.

Em algumas regiões, ao oferecer valores maiores pelos animais, indústrias conseguiram efetivar compras de lotes em volumes mais expressivos e estender as escalas de abate até o final da próxima semana, relata a consultoria.  No entanto, a oferta de gado no País ainda não é suficiente para atender à grande necessidade de compra das indústrias, o que deve ajudar a manter os preços do boi gordo ainda bastante firmes e em patamares nominais recordes.

No atacado, os preços dos principais cortes bovinos ficaram estáveis nesta quarta-feira. A procura por proteínas se manteve em níveis baixos, mesmo com a aproximação do final de semana, segundo apurou a IHS Markit. Por sua vez, a oferta de carne bovina também se manteve limitada, refletindo a dificuldade das indústrias em avançar com as escalas de abate.

Segundo a IHS, as perspectivas para o consumo de carne bovina no mercado doméstico apontam para continuidade de volumes poucos expressivos, com possíveis avanços apenas no meio da próxima semana, período de virada do mês, quando parte da população é contemplada pelo pagamento dos salários.

Confira as cotações desta terça-feira, 22 de setembro, segundo dados da IHS Markit:

SP-Noroeste:

boi a R$ 254/@ (prazo)

vaca a R$ 241/@ (prazo)

MS-Dourados:

boi a R$ 242/@ (à vista)

vaca a R$ 234/@ (à vista)

MS-C. Grande:

boi a R$ 245/@ (prazo)

vaca a R$ 234/@  (prazo)

MS-Três Lagoas:

boi a R$ [email protected] (prazo)

vaca a R$ [email protected] (prazo)

MT-Cáceres:

boi a R$ 235/@ (prazo)

vaca a R$ [email protected] (prazo)

MT-Tangará:

boi a R$ 236/@ (prazo)

vaca a R$ 223/@ (prazo)

MT-B. Garças:

boi a R$ 238/@ (prazo)

vaca a R$ 225/@ (prazo)

MT-Cuiabá:

boi a R$ 235/@ (à vista)

vaca a R$ 225/@ (à vista)

MT-Colíder:

boi a R$ 227/@ (à vista)

vaca a R$ 216/@ (à vista)

GO-Goiânia:

boi a R$ 246/@ (prazo)

vaca R$ 236/@  (prazo)

GO-Sul:

boi a R$ 239/@ (prazo)

vaca a R$ 229/@ (prazo)

PR-Maringá:

boi a R$ 244/@ (à vista)

vaca a R$ 231/@  (à vista)

MG-Triângulo:

boi a R$ 249/@ (prazo)

vaca a R$ 235/@ (prazo)

MG-B.H.:

boi a R$ 249/@ (prazo)

vaca a R$ 237/@ (prazo)

BA-F. Santana:

boi a R$ 256/@ (à vista)

vaca a R$ 250/@ (à vista)

RS-Porto Alegre:

boi a R$ 215/@ (à vista)

vaca a R$ 201/@ (à vista)

RS-Fronteira:

boi a R$ 215/@ (à vista)

vaca a R$ 201/@ (à vista)

PA-Marabá:

boi a R$ 250/@ (prazo)

vaca a R$ 244/@ (prazo)

PA-Redenção:

boi a R$ [email protected] (prazo)

vaca a R$ 244/@ (prazo)

PA-Paragominas:

boi a R$ 247/@ (prazo)

vaca a R$ 238/@ (prazo)

TO-Araguaína:

boi a R$ 247/@ (prazo)

vaca a R$ [email protected] (prazo)

TO-Gurupi:

boi a R$ 245/@ (à vista)

vaca a R$ 233/@ (à vista)

RO-Cacoal:

boi a R$ 242/@ (à vista)

vaca a R$ 232/@ (à vista)

RJ-Campos:

boi a R$ 242/@ (prazo)

vaca a R$ 227/@ (prazo)

MA-Açailândia:

boi a R$ 247/@ (à vista)

vaca a R$ 225/@ (à vista)

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.