Café: riqueza, empobrecimento e desperdício

A importância da cafeicultura para o Brasil, a queda de renda do produtor, e a riqueza de micronutrientes do café e seus subprodutos

Pelos dados recentes do 2º levantamento da Conab, neste ano de 2019, deverão ser colhidas cerca de 50,92 milhões de sacas do café, sendo 36,98 do Arábica e outras 13,97 do Conilon. Arábica produzindo 22,1% a menos que em 2018 e o Conilon apenas 1,7%.

Falando da riqueza

Em 2018 foram produzidas 61,65 milhões de sacas, das quais foram exportadas 31,52, sendo 29,04 do Arábica e 2,48 do Conilon. Faturamento de 5,25 bilhões de dólares. Exportação para nada menos que 123 países. Pobreza cá, riqueza lá.

Empobrecimento

Os cafeeiros se alimentam de nutrientes, ar e água. Análise dos grãos e da casca de 1 saca de café revela a seguinte composição em gramas por quilo (g/kg). Em percentagem, o quanto de cada nutriente está nos grãos e na casca. Pode-se observar também o quanto de nutrientes está em 30 sacas, em 29 milhões de sacas exportadas, em 30 milhões de sacas consumidas no mercado interno e o contido em 61,65 milhões de quilos de casca geradas no benefício.

Fonte – E. Malavolta

Com base nos dados acima, podemos fazer algumas continhas. Uma delas é transformar os quilos de nitrogênio contidos nas 29 milhões de sacas exportadas em ureia que contém 45% de nitrogênio. Dá simplesmente 66.000 toneladas e nas 30 milhões de sacas consumidas no mercado interno cerca de 68.000 toneladas. Fazendo outros cálculos, para os demais nutrientes vamos poder descontar, dos 5,25 bilhões de dólares o valor dos nutrientes exportados e consumidos no mercado interno. Cofre furado.

Desperdício

Grãos são consumidos no mercado interno e exportados. Os 30 milhões de sacas consumidas no mercado interno são torrados, moídos e tomados em diversas modalidades de cafezinho. Seja qual for a apresentação do produto final, sobra pó que vai, quase na sua totalidade, para os lixões;

Na tabela abaixo com dados do Prof. E. Malavolta (folhas, grãos e casca) e os da bebida e do pó do Ribersolo – SP podemos ver o quanto é extraído dos micronutrientes em miligramas por kg – mg/kg que são consumidos quando ingerimos a bebida, ou desperdiçado quando não aproveitamos corretamente a casca, e quando jogamos o pó no lixo.

Concluindo

Sendo o café a segunda bebida mais consumida no mundo atual, sendo a maior produção a brasileira, os preços internacionais atuais estão próximos do custo de produção, deveríamos aproveitar a crise para vender nosso café como alimento, dar destino mais nobre à palha residual do benefício e transformar o pó em adubo.

Café desperta, pudera, contendo tudo isso!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no pocket
Pocket
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no skype
Skype
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no pocket
Pocket

Conteúdo relacionado:

Sobre o autor

Menu

[banner-link-364-x-134-home-geral1]

[banner-link-364-x-134-home-geral2]

[banner-link-364-x-134-home-geral3]

Fechar Menu
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
×
×

Carrinho

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura: