Cargill registra casos de Covid-19 em fábrica de Uberlândia, MG

Empresa disse ontem, 12 de maio, que a pandemia do novo coronavírus representa um novo desafio para a companhia

Uma planta operada pela gigante norte-americana  Cargill, localizada em Uberlândia, MG, registrou seis casos de Covid-19, de acordo com comunicado enviado à agência Reuters ontem, terça-feira (12/5).

A Cargill disse que “a maioria” dos funcionários diagnosticados com doença respiratória em sua fábrica em Uberlândia já havia retornado ao trabalho após receber assistência médica e permissão para trabalhar.

A Cargill processa soja e milho para produção de amidos e adoçantes na instalação de Uberlândia. Também produz acidulantes que são usados ​​como ingredientes para fazer alimentos e bebidas na planta.

Inicialmente, de acordo com a Reuters, a Cargill confirmou que havia alguns casos de Covid-19 na fábrica de Uberlândia, sem especificar quantos. A empresa disse que os funcionários receberam assistência médica e as pessoas que tiveram contato próximo com as pessoas doentes foram notificadas individualmente e colocadas em quarentena por 14 dias, conforme recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Até o momento, a empresa não teve interrupções nas operações brasileiras devido ao surto de Covid-19, informou a empresa.

Humberto Ferreira, presidente do sindicato dos trabalhadores de alimentos de Uberlândia, afirmou à Reuters que sabia que um funcionário da Cargill foi diagnosticado com o novo coronavírus. Ele disse que a descoberta do caso, há cerca de três semanas, não atrapalhou as operações da fábrica, mas que todas as pessoas que entraram em contato com o trabalhador infectado foram colocadas em quarentena para evitar um surto.

Ferreira afirmou ainda que os trabalhadores afetados foram gradualmente autorizados a retornar à fábrica. O líder sindical disse que a unidade de Uberlândia emprega diretamente entre 1.300 e 1.400 pessoas.

No final de abril, a Cargill disse que a pandemia da Covid-19 representa um novo desafio para a companhia. “Vamos lidar com um cenário sem precedentes”, disse Paulo Sousa, diretor executivo da empresa no País, quando divulgou resultados financeiros. “Mas continuamos fazendo a nossa parte para ter o Brasil como um fornecedor confiável de alimentos para o mundo”, disse Sousa no mesmo comunicado. Fonte: Reuters.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.