China bate recorde de compra de carne bovina em maio

O país asiático comprou 45,9% de toda a carne embarcada do Brasil
Carne brasileira em mercado na China é cada vez mais produto de prateleira. Foto: divulgação

 

O apetite chinês mais aguçado, observado durante todo o mês de maio, foi confirmado hoje (10/5). O país asiático comprou 83,9 mil toneladas de carne bovina no Brasil, por US$ 411,4 milhões, de acordo com os dados anunciados pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa). O volume embarcado representa 45,9% de toda a carne exportada.

Continue a leitura após o anúncio

Em relação a maio do ano passado, o crescimento foi 180% em volume e de 186,6% em valores. No mesmo mês do ano passado, os chineses importaram 29,9 mil toneladas de carne bovina, por US$ 143,5 milhões. O desempenho de maio foi recorde na série histórica do Mapa.

Desde o fim de 2019, a China têm espichado os olhos sobre a oferta de todo tipo de proteína animal, por conta de problemas sanitários enfrentados com a sua mais vistosa indústria, no caso a criação de suínos afetada por uma peste. Mas, no caso da carne bovina, os olhos estão mais aguçados. A proteína nobre tem um público mais elitizado no país, onde a somente a classe média é estimada em cerca de 300 milhões de pessoas. Desde o início do ano, o chineses importaram do Brasil 287,4 mil toneladas, por US$ 1,46 bilhão. No ano passado, nos primeiros cinco meses, foram embarcadas para esse país 126 mil toneladas, por US$ 587,4 milhões.

Maio no mundo

O mercado total de carne bovina exportada em maio deste ano mostra a importância da China. As vendas gerais foram de 182,6 mil toneladas, por US$ 779,5 milhões, crescimento de 21% no volume e de 35% em valores. Em maio de 2019, o País havia exportado para o mundo 150,8 mil toneladas, por US$ 577,4 milhões.

O bloco asiático, no qual está a China, foi responsável pela compra de US$ 557,7 milhões em carne bovina. É, praticamente, o mesmo valor de toda a venda de maio de 2019. Além da China, vale destacar no mês passado as compras de Hong Kong, de US$ 121,5 milhões, e que em geral também tem como destino o mercado chinês.

O terceiro maior comprador do bloco foi Cingapura, com US$ 10,7 milhões em carne bovina. Os demais países desse grupo são Brunei, Coreia do Sul, Filipinas, Japão, Malásia, Maldivas, Tailândia e Vietnã, países com os quais o Brasil vem estreitando relações comerciais com acordos mais amplos. Como ocorreu com a Tailândia, para onde o País já exportava carne in natura congelada e passou  enviar, em maio, carne in natura resfriada.

Leia também

Agronegócio brasileiro atinge receita recorde de exportações em maio

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Conteúdo original Revista DBO