China pode buscar milho e trigo nos EUA, diz analista

"Para a soja, acho que passou a janela que favorece os EUA, porque o Brasil já está começando a colher", avaliou o analista Michael McDougall, da Paragon

O momento de a China comprar mais soja nos Estados Unidos pode ter passado, mas o país asiático pode buscar milho e trigo norte-americanos, apontou o analista Michael McDougall, da Paragon. Ele destaca que as ofertas de soja do Brasil começam a ficar mais competitivas no exterior com o começo da colheita da safra nacional.

“O mercado já está favorecendo o Brasil”, afirmou. “A maior parte das compras chinesas viria do setor privado, e ele não vai operar no prejuízo. É meio irônico que os EUA estão tentando limitar o favorecimento das companhias estatais, uma vez que, se saírem compras mesmo, elas devem vir das estatais para aumentar estoques.”

McDougall destacou que, recentemente, a China fez compras de “boa fé” nos EUA, para tentar “adoçar o acordo” que seria assinado entre os dois países. “Mas fizeram isso porque fez sentido economicamente. Não foi nenhum sacrifício.” Para o analista, a queda dos futuros de soja na CBOT reflete a dúvida sobre como ficará a partir de agora o apetite chinês pela oleaginosa norte-americana.

Continue a leitura após o anúncio

“Para a soja, acho que passou a janela que favorece os EUA, porque o Brasil já está começando a colher”, avaliou. “O que pode ser favorecido é milho. A China deu uma pausa por enquanto no plano de etanol (mistura do biocombustível na gasolina), porque os estoques de milho estão muito baixos. Os EUA têm uma brecha, mas por enquanto o milho da Ucrânia ainda está agressivo (no mercado internacional)”, disse.

McDougall acrescentou que etanol de milho e trigo podem ser alternativas para a ampliação das compras chinesas nos EUA. Segundo o analista, a falta de detalhamento sobre quanto a China deve comprar de cada commodity reflete a rejeição chinesa à imposição de metas de compra.

Ele aponta ainda que o país asiático não deve chegar aos US$ 50 bilhões em compras chinesas de produtos agropecuários dos EUA indicados pelo presidente norte-americano, Donald Trump. “Só se a China não tivesse alternativa, o que não está acontecendo. Ocorreram problemas de clima na Argentina e no Brasil, mas nada grave.”

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no pocket
Pocket
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no skype
Skype
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no pocket
Pocket
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no tumblr
Tumblr
Compartilhar no print
Print
2742961

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Notícias relacionadas:

Leia também

TV DBO

A DBO Editores Associados, fundada em junho de 1982, sempre se caracterizou como empresa jornalística totalmente focada na agropecuária. Seu primeiro e principal título é a Revista DBO, publicação líder no segmento da pecuária de corte. O Portal DBO é uma plataforma digital com as principais notícias e conteúdo técnico dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Todos direitos reservados @ 2019 | Rua Dona Germaine Burchard, 229 | Bairro de Perdizes, São Paulo-SP

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
×
×

Carrinho

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura:

Cadastre-se e receba nossas notícias

Todos os dias no seu e-mail melhor conteúdo do agronegócio.