CNA defende renovação do Convênio ICMS 100/97 sem mudanças

Segundo a entidade, as alterações na forma de tributação do setor agropecuário devem ser realizadas no âmbito da Reforma Tributária para garantir segurança jurídica ao setor
Imagem: Pixabay

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) divulgou nota reforçando seu posicionamento favorável à renovação, sem qualquer tipo de mudança, do Convênio ICMS nº 100/1997 até o dia 31 de dezembro de 2023. Segundo a entidade, qualquer alteração no texto do convênio que seja promovida nesta sexta-feira pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) acarretará “aumento nos custos de produção para os produtores rurais, insegurança jurídica para as empresas e uma alta de 9,5% da inflação, em decorrência do aumento dos preços dos alimentos, prejudicando a renda da população brasileira”.

Na nota, a CNA defende que quaisquer alterações na forma de tributação do setor agropecuário devem ser realizadas no âmbito da reforma tributária, atualmente em debate no Congresso Nacional, para garantir segurança jurídica ao setor.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

As apostas são altas para o futuro da produção de carne no Brasil. Veja o que dizem as lideranças ouvidas para o Especial Perspectivas 2021 do Anuário DBO. Assista:

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.