Comercialização do café segue abaixo da média

Vendas estão atrasadas em relação ao mesmo período do ano passado, quando 90% da safra 2017/18 estava comercializada até então.

A comercialização da safra de café do Brasil 2018/19 chegou a 86% até o dia 13 de maio, informou o levantamento da Safras & Mercado nesta quinta-feira, 16 de maio. O número representa um avanço de quatro pontos percentuais no último mês. Com isso, as vendas apresentam atraso em relação ao mesmo período do ano passado, quando 90% da safra 2017/18 estava comercializada.

O levantamento também constatou que a comercialização está abaixo da média dos últimos 5 anos, que é de 91% para esta época. A Safras & Mercado informa que já foram comercializadas 55,05 milhões de sacas de 60 quilos, tomando-se por base a estimativa da consultoria de uma safra de 64,1 milhões de sacas de café em 2018/19.

Continue a leitura após o anúncio

“Os preços fracos e a demanda mais curta continuam impactando o andamento da comercialização no disponível. A produção recorde colhida no ano passado também dificulta o avanço percentual das vendas”, avalia Gil Barabach, consultor da Safras & Mercado, por meio de nota.

Para Barabach, “o interessante é que esse volume recorde explica tanto a performance na exportação como os armazéns cheios para o período do ano” e gera uma situação peculiar: demanda externa bem atendida por grãos brasileiros com sobra de café nos armazéns nacionais. “Sem falar na safra brasileira de 2019, que já é uma realidade”, comenta. Segundo a consultoria, 10% da safra 2019/20 de café havia sido colhida até o dia 14 de maio.

A consultoria informou ainda que as vendas do café arábica alcançam 84% da safra. De acordo com o levantamento, o percentual comercializado continua bem abaixo ao observado em igual época do ano passado (90%) e também aquém da média para o período (91%).

“O preço das bebidas melhores avança abaixo da referência vendedora de R$ 400,00 a saca, reforçando o cenário baixista, que se agrava com a chegada de café da safra nova ao mercado”, diz Barabach.

Em relação às vendas do café conilon, estas alcançam 91% da safra, abaixo de igual época do ano passado (92%) e também da média de 5 anos (93%). “A colheita de conilon da safra 2019/20 ganha força e o interesse comercial se volta para o café novo, o que prejudica os negócios no disponível”, afirma o consultor no comunicado.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Conteúdo original Revista DBO