Como montar um protocolo sanitário para a pecuária

Esquema de vacinações deve levar em conta índices zootécnicos e histórico de doenças

Estabelecer um protocolo sanitário é a forma mais eficiente – e barata – de garantir a sanidade do plantel. Para definir o conjunto de ações necessárias para prevenir o aparecimento de doenças, duas medidas são fundamentais: conhecer os índices zootécnicos do rebanho e esmiuçar causas de enfermidades, mortalidade e abortos.

Como num trabalho de detetive, a sorologia também desempenha papel importante, não apenas para desvendar eventuais enfermidades, mas também por revelar os agentes patogênicos escondidos por trás delas.

Na Fazenda Cachoeirão, em Ortigueiras, PR, o protocolo sanitário está em fase de implantação e, como tal, prevê as vacinas obrigatórias, como aftosa e brucelose. O restante do calendário está sendo preenchido na medida em que avança o diagnóstico epidemiológico do plantel. Esse processo, dinâmico, está sujeito a mudanças a qualquer anormalidade detectada.

Para fazer esta reportagem, DBO visitou a fazenda na companhia do veterinário e consultor Werner Okano, que pontuou os aspectos a que o produtor deve se atentar na hora de montar seu protocolo sanitário.

Veja matéria completa na Revista DBO.

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on skype
Skype
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on email
Email
Share on pocket
Pocket

Posts Relacionados:

Menu

GALERIA DE FOTOS DO INSTAGRAM

Acompanhe e compartilhe:

Fechar Menu
×
×

Carrinho