Concessão de florestas mostra que País cuida da área ambiental, afirma Tereza Cristina

Para a Ministra, o plano de outorga de florestas do Serviço Florestal Brasileiro (SFB), vinculado à Agricultura, demonstra ao mundo a preocupação do País com suas florestas

Tereza Cristina, ministra da Agricultura, afirmou que o projeto de concessão de florestas em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) mostra que o Brasil está cuidando do patrimônio ambiental.

“Não temos dúvida que o Brasil é uma potência agroambiental, movida a ciência, e cada dia avança mais para cuidar do seu patrimônio ambiental. Hoje é uma demonstração inequívoca disso. São concessões robustas que fizemos com cuidado”, disse a ministra durante assinatura do acordo, em transmissão virtual feita pela pasta nesta quarta-feira, 16.

O projeto prevê a concessão de cinco florestas no Estado do Amazonas à iniciativa privada para manejo florestal sustentável. São elas a Floresta Nacional de Balata-Tufari (1 milhão de hectares), a Floresta Nacional de Iquiri (1,47 milhão de hectares), a Floresta Nacional de Jatuarana (574 mil hectares), a Floresta Nacional de Pau-Rosa (988 mil hectares) e a gleba Castanho (132 mil hectares).

“São ativos que serão cuidados e conversados. Trata-se de um projeto piloto de 2,2 milhões de hectares com potencial de expansão”, apontou a ministra.

Para Tereza Cristina, o plano de outorga de florestas do Serviço Florestal Brasileiro (SFB), vinculado à Agricultura, demonstra ao mundo a preocupação do País com suas florestas.

“Neste ano tão importante para o meio ambiente, mostramos com as concessões que o Brasil conserva e que tem governança sobre a área ambiental”, disse a ministra.

O programa de concessão florestal do SFB prevê incluir 19 florestas nacionais e seis glebas de florestas públicas até o fim de 2022. Destas, cinco estão inclusas no acordo apresentado hoje.

Segundo dados do SFB, apresentados no evento, há 4,8 milhões de hectares de florestas públicas passíveis de concessão. Deste montante, 1,05 milhão de hectares são concedidos atualmente. Os outros 3,8 milhões de hectares devem entrar no plano de outorga florestal. Nessa área, há potencial de produção de 2 milhões de metros cúbicos de madeira por ano.

SAIBA MAIS:
+Ministério da Agricultura instala comissão executiva para nova fase do Plano ABC

A expectativa é de arrecadação de R$ 140 milhões com as áreas adicionais a serem concedidas, com investimento dos concessionários de R$ 1,17 bilhão e custeio anual de R$ 491 milhões. “O patrimônio é nosso. Não estamos dando nada a ninguém. Estamos dividindo a atividade com quem pode dar vida à floresta”, disse a ministra da Agricultura.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Revista DBO | Ele quer todo gado na sombra

VEJA os destaques da edição de maio e o Especial Instalações e Equipamentos; na capa, a Agropastoril Campanelli investe em cobertura metálica dos currais e comprova ganho de mais de meia arroba por animal engordado na sombra

Revista DBO | Ele quer todo gado na sombra

VEJA os destaques da edição de maio e o Especial Instalações e Equipamentos; na capa, a Agropastoril Campanelli investe em cobertura metálica dos currais e comprova ganho de mais de meia arroba por animal engordado na sombra

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.