Confiança na pecuária é recorde e supera o crescimento do índice da agricultura, diz Fiesp

Apurado a cada três meses, pesquisa mostra a expectativa dos agentes do setor em relação ao seu negócio e ao ambiente econômico

O ano de 2020 está no topo das paradas de confiança do produtor rural, especialmente o pecuarista. Com um total de 130,7 pontos, o Índice de Confiança da Pecuária, o IC Pecuária é o maior da série iniciada no final de 2013 pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Além de ser recorde, o IC Pecuária apresentou o maior crescimento porcentual, no 3º trimestre do ano, entre os setores avaliados pelo Índice de Confiança do Agronegócio, o IC Agro. Em comparação com o 2º trimestre, o crescimento foi 18,5%, e perante o mesmo período do ano passado, o salto foi de 25,2%. O resultado foi apresentado nesta terça-feira (24/11) pela Fiesp e contou com a pesquisa de campo da Agroconsult.

A confiança no setor de produção de carne superou o humor da classe de empresários brasileiros da agricultura, insumos (antes da porteira), cooperativas, tradings, indústrias de alimentos, logística (classificadas na pesquisa em depois da porteira). O IC Agrícola ficou em 133,4 pontos, também o maior da série histórica. O crescimento porcentual foi de 14,1% perante o 2º trimestre de 2020 e de 18,9% ante o 3º trimestre de 2019. O IC Agro (que reúne todos os índices num só) fechou em 127,0 pontos. Até então, o maior índice de confiança no setor era o do 4º trimestre do ano passado, quando o índice geral fechou em 123,8.

Apurado trimestralmente, o IC Agro mede, por meio de um conjunto de variáveis, a expectativa dos agentes do setor em relação ao seu negócio e ao ambiente econômico de forma geral.

Arroba em alta

Para o pecuarista e engenheiro elétrico Antônio Ricardo Sechis, da fazenda Rodansechis, em Nhandeara (SP), e criador da marca de carne Beef Passion, de fato, não há o que reclamar de 2020.

“A demanda pela produção de carne cresceu 50% esse ano”, diz Sechis.

Além da alta demanda, o setor continua vendo o preço da arroba do boi gordo com tendência de alta para o próximo período, o que contribui para reafirmar a pesquisa da Fiesp. Na segunda-feira (23), em praças paulistas, o valor médio da arroba era de R$ 289,70, segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). A alta é de 50,1% desde o início do ano.

Antônio Ricardo Sechis, pecuarista e dono da fazenda Rodansechis, em Nhandeara (SP)

 

Os resultados positivos de 2020 refletiram até em mais investimentos , por parte de Sechis.

“O ano de 2020 tem sido bastante transformador em nossa produção de cria e recria. Estamos investindo em reforma de 276 hectares na cria e 700 hectares na recria, incluindo 147 hectares de pivô para a produção de grãos e pastagem. Nosso objetivo é aumentar 500 matrizes e dobrar a quantidade de recria, passando de 2,5 mil para 5 mil animais”, diz Sechis.

Confira a evolução do IC Agro, entre 2019 e 2020, no quadro abaixo:

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Revista DBO | Monta curta acelera produtividade

CONFIRA os destaques da edição de setembro da Revista DBO e o ‘Especial Genética e Reprodução’; na capa, veja como duas fazendas de ciclo completo se tornaram modelo de ‘fábrica ideal de produção de bois’

Revista DBO | Monta curta acelera produtividade

CONFIRA os destaques da edição de setembro da Revista DBO e o ‘Especial Genética e Reprodução’; na capa, veja como duas fazendas de ciclo completo se tornaram modelo de ‘fábrica ideal de produção de bois’

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.