[full-banner-1170-x-134-home-geral1]

Confinamento: gestão estratégica na prática

André Melo ensina o passo a passo para elaborar o planejamento da atividade
Foto: arquivo DBO.

Quem mexe com confinamento sabe o quanto a atividade exige em termos de gestão e, para não perder dinheiro, o confinador precisa estar de olho nos seus custos, definir metas e conhecer sua margem.

O objetivo desta coluna no Portal DBO é orientar o leitor nesse processo. E, por isso, decidi começar trazendo as etapas básicas para elaboração do planejamento e falar do primeiro item da lista abaixo. A cada novo artigo, vamos tratar de um passo específico. Acompanhe o roteiro:

1) Planejamento Estratégico – Por que e quando

  • Quais os seus objetivos?
  • O que o você almeja para seu investimento?

2) Planejamento Tático – Como Fazer

  • Orçamento
  • Fluxo de caixa
  • Necessidade de capital de giro
  • Estratégia comercial
  • Investimentos em recursos humanos e infraestrutura

3) Planejamento Operacional – O que Fazer

  • Indicadores e metas zootécnicas
  • Indicadores e metas agronômicas
  • Indicadores e metas veterinárias
  • Indicadores e metas operacionais

Planejamento estratégico, onde tudo começa

Agora, que você já sabe qual caminho será percorrido, vamos ao primeiro passo: definir os objetivos da propriedade. O que você, pecuarista, almeja para seu investimento? É gerar capital para novas aquisições de terra? Valorizar seu patrimônio imobiliário? Reverter um histórico financeiro de resultados negativos? Diminuir a participação de capital de terceiros? Estruturar o patrimônio para futura divisão entre acionistas? Sem saber onde se quer chegar, é mais difícil traçar um caminho a ser percorrido, então estabeleça seu ponto de partida. Esta etapa, geralmente, é executada pelos proprietários, acionistas, sucessores e principais gestores. E tão importante quanto a definição dos objetivos é a definição do prazo. Esse objetivo vai ser alcançado em um ano (curto prazo)? Em 3 a 5 anos (médio prazo)? Ou em mais de 5 anos (longo prazo)?

Para aplicação prática dos conceitos vamos acompanhar um case real, de uma propriedade assessorada por mim na região do Pontal do Triângulo Mineiro. Seguindo o roteiro descrito acima, quais os objetivos desta propriedade?

O proprietário, após analisar os resultados do ano de 2017, tem como objetivos para o exercício de 2018:

  • Aumentar o lucro do confinamento em R$ 485 mil;
  • Incrementar 0,25% a rentabilidade mensal do negócio;
  • Gerar caixa para diminuir a participação de capital de terceiros (bancos);
  • Gerar caixa para ampliar a capacidade de abate para 7.000 cabeças em 2020.

Abaixo, uma tabela traz a situação atual e o plano para este ano. E você, que planos tem?

No próximo artigo, falaremos sobre o segundo tópico do roteiro, o Plano Tático, e discutiremos o orçamento desta propriedade para 2018.

*André Melo é gestor do Mercado do Agronegócio, consultoria focada em gestão de risco, viabilidade econômica e financeira.

**As opiniões expressas nos artigos não necessariamente refletem a posição do Portal DBO.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on skype
Skype
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on email
Email
Share on pocket
Pocket

Veja também:

[banner-lateral-300-x-300-noticias]

Sobre o autor

Menu

[banner-link-364-x-134-home-geral1]

Sustentabilidade é isso aí…

Hélio Casale destaca os esforços do agricultor na busca pela sustentabilidade e os principais temas abordados no 3º Fórum de Agricultura Sustentável

[banner-link-364-x-134-home-geral2]

[banner-link-364-x-134-home-geral3]

Fechar Menu
×
×

Carrinho