Coreia do Sul habilita novos frigoríficos do BR para exportação

Decisão sucedeu missão técnica realizada no Brasil por autoridades sul coreanas no mês de outubro

A Coreia do Sul, país conhecido pelo rigor dos serviços sanitários, abre as portas para novos exportadores brasileiros de carne. A Agência de Quarentena Animal e Vegetal  (APQA) daquele país anunciou na quarta-feira, 27 de fevereiro, a habilitação de mais nove estabelecimentos brasileiros . Todos os novos habilitados já haviam cumprido com a etapa anterior, de autorização junto ao Ministério da Segurança dos Alimentos e Medicamentos (MFDS) daquele país. Dessa maneira, estão prontas para iniciar as exportações de carnes para o território sul-coreano.

Os estabelecimentos agora autorizados se somam a quatro que já possuíam permissão para exportar ao país asiático. Das nove plantas habilitadas agora, cinco são de carne suína e quatro de aves.

A Coreia do Sul importa cerca de 1,5 bilhão de dólares por ano em carne suína. Levando em consideração a fatia de 9% do mercado mundial do produto ocupada pelo Brasil, é estimado o potencial do mercado sul-coreano em 189 milhões de dólares com as novas plantas. No que se refere à carne de frango, o Brasil já ocupa uma posição privilegiada, respondendo por 85% das importações da Coreia do Sul. O valor das vendas brasileiras de carne de frango in natura para o país asiático chegou a 169 milhões de dólares em 2018.

A habilitação das novas plantas chega como demonstração de confiança das autoridades do país asiático na certificação brasileira e bastante comemoradas pelo Presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Francisco Turra: “A Coreia do Sul é um dos mercados mais pujantes entre os importadores da proteína animal do Brasil. Os números indicam um movimento ascendente nas exportações para aquele destino, o que se confirma com a habilitação das novas plantas, uma conquista para o Brasil.  É um importante sinal de confiança estabelecida com o setor de proteína animal brasileiro, consequência, também, dos grandes esforços empenhados pela ABPA neste processo”, destaca Turra.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on skype
Skype
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on email
Email
Share on tumblr
Tumblr
Share on print
Print

Veja também:

Uma jovem pioneira

Aos 21 anos, Maria Vitória Faé Proença já é pecuarista famosa em Santa Catarina. Ela é dona da Fazenda Vitória, em Rio das Antas (207

Que modelo sucessório adotar?

Não são poucas as dúvidas das famílias rurais quando o assunto é sucessão. Além da delicadeza da questão, definir qual modelo adotar não é tarefa

Fechar Menu
×

Carrinho