[full-banner-1170-x-134-home-geral1]

#SegundaComCarne | Coxão duro, próprio para quibe

O quibe é um prato típico do Oriente Médio; no Brasil, ele é preparado normalmente com carne moída numa mistura de triguilho com carne bovina e recheio de ervas

Por Isaura Caliari – Consultora gastronômica desde 1998 e autora do projeto pedagógico da primeira faculdade de gastronomia do Espírito Santo. Também é professora de cozinha brasileira e planejamento de cardápio na Fundação Novo Milênio, sediada em Vitória, ES.

O coxão fica na parte traseira bovina, situado um pouco acima da perna. É, em suma, a coxa do animal. Fazem parte dele o coxão duro, o coxão mole, o lagarto, o patinho e os músculos traseiros: o mole e o duro. O coxão duro fica do lado de fora do músculo da parte superior da perna do boi. É a parte que faz força quando o animal anda. Já o mole fica na parte de dentro, na mesma altura, por isso é mais macio.

O coxão duro é constituído de músculos com fibras mais longas e rígidas e gordura concentrada na parte externa. Por isso, para prepará-lo, devemos utilizar cozimento lento. Depois de bem limpo, pode ser usado moído, em ensopados, cozidos, caldos ou molhos.

No preparo do quibe, por exemplo, conforme a receita abaixo, é necessário retirar os nervos, o que não é difícil. O quibe é um prato típico do Oriente Médio que consiste em um bolinho com massa de triguilho preparado com soja ou carne bovina. O nome é derivado de kubbeh, que em árabe significa “bola”. No Líbano, na Síria e no Iraque é considerado o prato nacional.

No Brasil, o quibe é preparado normalmente com carne moída numa mistura de triguilho com carne bovina e recheio de carne de carneiro ou ervas. Esse petisco trazido por imigrantes é feito hoje em quase toda lanchonete, padaria, bar ou restaurante. Conheci, por sinal, essa receita na casa de uma amiga, filha de armênios. Prepará-lo assado é uma ótima alternativa para servir um grupo maior e ainda é mais saudável.

O grão-de- bico eu incluí por minha conta, já que é muito rico em nutrientes e saboroso. Como tenho ascendência portuguesa, uso muito o grão-de-bico nos pratos com carnes. Seu preparo é simples. Ponho o grão de molho na véspera, cozinho no dia seguinte, separo o que vou usar na receita e congelo o restante, em porções.

Para continuar lendo é preciso ser assinante.

Você merece este e todo o rico conteúdo da Revista DBO.
Escolha agora o plano de assinatura que mais lhe convém.

Invista na melhor informação. Uma única dica que você aproveite pagará com folga o valor da assinatura.

Se já é assinante, entre com sua conta

This post is only available to members.
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Pocket
WhatsApp
Skype
Email
Telegram
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Pocket
Email
Tumblr
Print
2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.