Cresce a expectativa de mais valorizações nos preços do boi

Frigoríficos operam com escalas apertadas, o que deve motivar a busca por animais terminados na próxima semana

Foi uma semana de novas valorizações no mercado do boi gordo e, segundo analistas, tudo indica de que, na próxima, os preços da arroba irão manter a escalada de alta.

Isso porque as chuvas generosas que atingiram as regiões Centro-Oeste e Sudeste do País deixaram os pastos esverdeados, o que possibilita o pecuarista seguir a mesma estratégica das últimas semanas, ou seja, segurar a boiada no pasto e esperar até que “bata o desespero” nas indústrias frigoríficas – ou seja, elas acabam indo às compras, cedendo à forte pressão por preços mais altos que vem do campo.

“Com a retomada das atividades pós-Carnaval e o período de início do mês, marcado pelo recebimento de salários, as indústrias frigorificas manifestaram maior interesse de compra de gado”, ressalta a Informa Economics FNP.

Ainda de acordo com a consultoria paulista, atualmente, os frigoríficos operam com escalas de abate bastante apertadas, o que deve motivar ainda mais a busca por animais terminados na próxima semana. É possível que as praças do Mato Grosso, o Estado com rebanho bovino do País, registrem acréscimos de preços mais expressivos na próxima semana, pois lá a indústria teve grande dificuldade em preencher as suas programações de abate na última semana, devido aos problemas logísticos ocasionados pelas fortes chuvas, que atrapalharam o transporte da boiada pelas estradas do interior mato-grossense.

Preços regionais –  Nos primeiros quatro dias úteis de março, na média das 32 praças monitoradas pela Scot Consultoria, o preço da arroba do animal macho terminado subiu 0,7%. “Apesar da valorização modesta, o movimento indica que a disponibilidade, embora tenha melhorado, está menor do que a demanda”, avalia a consultoria de Bebedouro, SP.

Segundo dados da FNP, o valor do boi gordo negociado no interior de São Paulo fechou a semana em R$ 207/@, a prazo, com elevação de 3/@ sobre o preço registrado na semana anterior. Em Cuiabá, no MT, o animal terminado é vendido a R$ 188/@, à vista, com elevação de R$ 2/@ sobre visto há sete dias.

Atacado/varejo – No mercado atacadista, o ritmo das vendas de carne bovina foi mais intenso nesta semana, mas ainda não o suficiente para desencadear altas mais consistentes nos preços dos principais cortes bovinos, de acordo com a FNP. “Com receio de um impacto no escoamento da mercadoria, os frigoríficos optaram por não emplacar maiores altas nos preços da carne, pelo menos no curtíssimo prazo, a fim de não prejudicar o fluxo de comercialização que ainda está em ritmo de recuperação”, observa a consultoria.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Boi-safrinha de cara nova

CONFIRA os destaques da edição de outubro da Revista DBO; na capa, as novidades deste versátil sistema de produção

Boi-safrinha de cara nova

CONFIRA os destaques da edição de outubro da Revista DBO; na capa, as novidades deste versátil sistema de produção

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.