Custo de produção para o recriador do MT é o maior desde o 3º trimestre de 2016

Maior gasto com aquisição de animais reduz margens dos pecuaristas Mato-Grossenses

O custo operacional (CO) dos pecuaristas do Mato Grosso que atuam no sistema de recria-engorda atingiu R$ 136,78/@ no terceiro trimestre deste ano, o maior valor desde o terceiro trimestre de 2016, de acordo com estudo do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR-MT).

Considerando que a média na arroba registrada no terceiro trimestre deste ano, de R$ 139,71/@, a margem bruta do pecuarista que trabalha na atividade de recria-engorda de apenas R$ 2,93/@ no período analisado, segundo levantamento do Imea.

O principal item que contribuiu para a elevação dos custos de produção foi a aquisição de animais, que subiu para R$ 76,52/@ no terceiro trimestre deste ano (ante R$ 70,61/@ registrado no terceiro trimestre de 2016), o que representou 55,94% do CO total.

“Os preços da reposição têm valorizado e, se este cenário perdurar – devido ao alto volume de fêmeas abatidas nos últimos dois anos –, o momento requer atenção para os negócios, principalmente para o recriador”, alertam os analistas do Imea.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.