Custos de produção do confinamento têm alta em agosto

Aumento dos valores dos insumos alimentares puxaram para cima os custos da diária-boi
Foto: arquivo DBO.

Os custos de produção do confinamento cresceram em agosto em São Paulo e Goiás entre 4% e 5%, segundo dados do Índice de Custo de Produção de Bovinos Confinados (ICBC). O custo total da fazenda representativa grande (27.000 animais/ano) de São Paulo foi de R$ 150,87/@, enquanto o da média (3.000 animais/ano) ficou em R$ 151,33/@. Já para a propriedade de Goiás (16.500 animais/ano), o valor fechou o mês em R$ 142,84/@. Desde setembro de 2017, os valores tiveram alta de 22,8% em Goiás e de 29,5% em São Paulo. Os custos da diária-boi (CDB) também cresceram, alcançando R$ 10,00 (confinamento SP médio), R$ 9,89 (SP grande) e R$ 8,49 (Goiás).

Em agosto, o aumento dos preços dos insumos alimentares contribuiu para a elevação dos custos nos dois Estados. O preço do milho grão em São Paulo aumentou, em média, 12,2%; em Goiás o avanço foi de 17,3%. Houve também alta em outros insumos como o grão de sorgo, farelos de soja e algodão, e sal mineral.

As cotações do boi magro de [email protected] também vêm crescendo desde o começo do ano. Como, segundo o índice, esse item representa entre 65% e 70% do custo, o impacto no total é grande. Em São Paulo, os preços médios do quilo do boi magro em agosto foram de R$ 5,22, enquanto que o valor em Goiás foi de R$5,11 para o mesmo período.

Por outro lado, as taxas de juros de mercado (Selic e Taxa de Juros de Longo Prazo) apresentaram redução nos últimos dois meses. “Os menores valores dessas taxas contribuem para custos operacionais reduzidos”, aponta o informativo. Confira a íntegra em https://bit.ly/2MhzApK.

Entenda o Indicador

Para desenvolver o Índice, o pesquisador Gustavo Sartorello entrevistou 10 confinadores de São Paulo e nove de Goiás para, então, criar três propriedades confinadoras representativas: duas em SP (média e grande capacidade) e uma em GO. “Criei essas fazendas com características reais. Por exemplo, quais maquinários são usados, a potência, número de funcionários, mas não é uma média das propriedades”. Todos os meses, o Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal faz o levantamento de preços de insumos para atualizar os dados do indicador, que tem periodicidade mensal. “Minhas bases são Pirassununga, SP, e Acreúna, GO. Meus fornecedores são voltados para essas regiões. Tudo que está incluído na atividade, como palanque para cerca, arame liso, polpa cítrica, cordoalha, cocho, para tudo nós pesquisamos valores em pelo menos três empresas”, explica.

Planilha de custos

A FMVZ-USP também tem uma planilha de cálculo de custos de produção do confinamento (Entenda melhor o método e o indicador aqui). Quem quiser ter acesso à ferramenta e ao indicador pode acessar o site do LAE (http://paineira.usp.br/lae) ou mandar e-mail para [email protected] ou [email protected] pedindo para receber o modelo de cálculo de custos e o boletim. Fornecedores que quiserem colaborar com o levantamento de preços de insumos também podem se cadastrar pelos e-mails acima.

Fonte: Portal DBO com FMVZ-USP.

Compartilhe
WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email

Revista DBO | Nova revolução no cocho

VEJA os destaques da edição de agosto e o Especial Confinamento; na capa, com quase nada ou zero volumoso, a chamada ‘dieta fast’ ganha os cochos, melhora o desempenho dos animais e simplifica as operações.

Revista DBO | Nova revolução no cocho

VEJA os destaques da edição de agosto e o Especial Confinamento; na capa, com quase nada ou zero volumoso, a chamada ‘dieta fast’ ganha os cochos, melhora o desempenho dos animais e simplifica as operações.

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Relacionado