De olho no comportamento da arroba do boi, mercado da reposição registra poucos negócios

A baixa capacidade de suporte das pastagens também colabora com a posição de cautela para os investimentos dos recriadores e invernistas, avalia a Scot Consultoria (Bebedouro, SP)

Nesta semana, o mercado de gado para reposição ainda operou com muita volatilidade de preços, devido à fraca ocorrência de leilões em muitas regiões brasileiras, informa a IHS Markit.

“O setor, de certa forma, segue acompanhando os desdobramentos relacionados à paralisação temporária das vendas de carne bovina à China e seus efeitos na dinâmica do mercado de boiada gorda”, justifica a consultoria.

Segundo a Scot Consultoria, nos próximos dias, os recriadores/invernistas devem se manter afastados das negociações, aguardando uma melhor definição do mercado do boi gordo.

“A baixa capacidade de suporte das pastagens colabora com esse quadro”, diz a Scot.

Porém, nas poucas localidades onde houve algum certame, agentes do setor relataram que a liquidez no mercado de animais jovens começa a mostrar sinais de recuperação.

De certa forma, diz a IHS Markit, a aproximação da época das águas traz a perspectiva de reestruturação das pastagens em muitas áreas do País e sugere planejamento dos próximos passos com relação à entrega de gado terminado para o primeiro semestre de 2022.

SAIBA MAIS | Cepea: preços do boi gordo recuam em setembro com ‘vaca louca’; exportações limitam queda

Segundo a IHS, em algumas praças pecuárias, a ponta compradora mais ativa trouxe suporte aos preços da reposição, sobretudo para animais mais velhos.

“Paralelamente, a acomodação dos preços da boiada gorda também colabora para a manutenção de uma relação de troca minimamente vantajosa”, acrescenta a IHS.

Entre as praças da região Norte do País, o mercado de reposição se mostrou firme e com maior liquidez de negócios, com pecuaristas saindo para as compras de bezerros, garrotes e novilhas, informa a IHS.

Destaque para a procura de fêmeas para estação de monta, seja novilha ou vaca parida. Em Rondônia, as chuvas voltaram e isso tem dados suporte aos preços locais por meio do maior volume de vendas.

No Centro-Oeste, os preços das categorias mais jovens estão estagnados no Mato Grosso e apresentam volatilidade em Goiás e Mato Grosso do Sul, informa a IHS.

Na região Sudeste, os preços do gado de reposição continuam muito fracos no interior paulista e em algumas regiões de Minas Gerais.

O clima seco e a cautela dos compradores locais (região Sudeste) travam as operações e dificulta a dinâmica dos negócios, relata a IHS.

Na região Sul, os negócios durante a semana foram pontuais, mas com preços mais firmes para algumas categorias.

No Rio Grande do Sul, destaque para firmeza dos preços das novilhas com mais de 10 arrobas.

Na última quinta-feira (23/9), o indicador bezerro Cepea (praça MS) fechou a R$ 2.887,98, o que representou valorização de 2,2% em relação ao preço registrado em igual período do mês passado.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Boi-safrinha de cara nova

CONFIRA os destaques da edição de outubro da Revista DBO; na capa, as novidades deste versátil sistema de produção

Boi-safrinha de cara nova

CONFIRA os destaques da edição de outubro da Revista DBO; na capa, as novidades deste versátil sistema de produção

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.