Dia a dia do mercado pecuário em 12 de abril

Indústria reduz ritmo de compra e indicador do boi gordo fica estável. Confira as principais notícias de mercado desta sexta-feira

Mercado do boi gordo fecha a semana com boa liquidez

Nesta sexta-feira, houve maior entrada de grandes lotes de animais terminados em comparação com a média verificada nos dias anteriores, o que garantiu liquidez no período, relata a Informa Economics FNP.

Continue a leitura após o anúncio

“Mesmo as regiões que sofriam com dificuldades estruturais em função do excesso de chuvas no período, voltaram a apresentar maior dinâmica de negócios em função da trégua nas precipitações”, diz a consultoria.

Escalas de abate avançam nas principais praças pecuárias

As escalas de abate avançaram ao longo desta semana e podem tirar o fôlego altista das cotações da arroba, segundo análise da consultoria Agrifatto.

As programações de abate, na média dos Estados levantados pela consultoria, avançaram 55% nesta semana e estão em 6,1 dias. Em São Paulo e Goiás, atendem a 7,8 e 7,6 dias, respectivamente.

“A queda sazonal do consumo de carne bovina na segunda metade do mês pode reduzir o apetite dos frigoríficos em originar animais”, alerta boletim desta manhã de sexta-feira da Agrifatto, acrescentando que um eventual aumento da oferta de animais terminados pode pressionar para baixo as cotações do boi gordo.

Reposição mantém tendência de alta

O Indicador Bezerro Esalq (animal Nelore, de 8 a 12 meses) segue firme e com tendência de alta, acompanhando o mercado do boi gordo. Ontem, subiu 0,66% na praça do Mato Grosso do Sul, para R$ 1.243,69, segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

“A firmeza dos preços do boi gordo e tendência de margens positivas em função da expectativa de menores gastos com ração (farelo e milho) são estímulos que mantêm a maior procura por negócios com a reposição”, relata a Informa Economics FNP.

Com escalas mais confortáveis, indústria reduz compras

Os preços do boi gordo seguem estáveis nas principais praças pecuárias do país, depois de um período de valorizações que levaram os valores da arroba a patamares históricos.

Ontem, o Indicador Esalq/B3 do boi gordo fechou a R$ 158,80, à vista, em São Paulo, o mesmo valor do dia anterior, segundo dados Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq/USP).

“Depois de formar escalas de abate aparentemente mais longas, as indústrias frigoríficas passaram a limitar as suas compras de gado, temendo a formação de estoque e dificuldade de repasse de custos”, avalia a Informa Economics FNP, ao justificar o período atual, de maior calmaria nos preços do boi gordo.

 

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Conteúdo original Revista DBO