Dia a dia do mercado pecuário em 13 de fevereiro

Arroba volta a subir em SP, BRF faz recall de frango in natura. Confira as principais notícias desta quarta
Ilustração: Edgar Pera/Freepick

Indicador do boi gordo volta a subir em São Paulo

Depois de abrir a semana em queda, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa do boi gordo (Estado de São Paulo, valor à vista) reverteu a tendência e registrou alta diária de 2% na terça-feira, fechando a R$ 151,60, segundo dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq/USP).

No acumulado deste ano, porém, o indicador apresenta desvalorização de 1,1% na comparação com o valor de 31 de janeiro, de R$ 153,30. Em relação ao preço de um mês atrás, o preço do boi na praça paulista apresenta estabilidade.

Na avaliação da Informa Economics FNP, de São Paulo, a menor oferta de animais prontos para abate e os ganhos acumulados nos valores da carne negociada no mercado atacadista oferecera suporte aos preços da arroba. “Paralelamente, as exportações da carne em ritmo superior a igual período do ano passado têm mantido as cotações do boi gordo firmes”, informou o último boletim da FNP, divulgado na tarde de ontem.

Indicador Bezerro em baixa no MS

O Indicador Bezerro ESALQ/BM&FBovespa (animal Nelore, de 8 a 12 meses) fechou a terça-feira cotado a R$ 1.211,90, no Mato Grosso do Sul, o que representou queda diária de 1% em relação ao valor de encerramento de segunda-feira (R$ 1.224,12), segundo dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (CEPEA).

Na comparação com o preço registrado há um mês, o recuo também foi de 1%. O mesmo percentual de queda é observado quando se compara o preço atual ao valor verificado no último dia útil de 2018 (R$ 1.225,47).

Relação de troca piora para recriadores do Pará

No Pará, a menor disponibilidade de animais de reposição, principalmente os mais jovens, diminuiu o fluxo de negócios nas últimas semanas, informa a Scot Consultoria. Para quem tem animais disponíveis para comercialização, é comum observar ofertas de preços acima das referências, fato que pressiona as cotações para cima.

Com isso, relata a Scot, o poder de compra do recriador e invernista do Estado diminuiu, visto que a arroba do boi gordo não se valorizou na mesma intensidade. Há seis meses, com a venda de um boi gordo com 16,5@ comprava-se 1,9 bezerro de 12 meses (7,5@). Hoje, com essa mesma relação, compra-se 1,7 bezerro.

Maior transparência na cadeia de carnes

A BRF S.A., responsável pelas marcas Sadia, Perdigão, entre outras, iniciou uma campanha de recall que visa recolher 164,7 toneladas de frango in natura que foram destinados ao mercado brasileiro e outras 299,6 toneladas do mesmo produto enviadas ao exterior, informa reportagem desta quarta-feira publicada no jornal Valor Econômico. Nesses lotes, produzidos na unidade de Dourados, MS), foi detectada a presença da bactéria salmonela.

A medida da empresa brasileira é apoiada por uma ampla campanha publicitária e representa um exemplo a ser seguido pela indústria de carnes, incluindo os frigoríficos especializados em abates de bovinos. Trata-se de uma maneira de fortalecimento da credibilidade do setor depois de graves problemas registrados nos últimos tempos envolvendo a cadeia de carnes, a relembrar: Operação Carne Fraca, da Política Federal (PF); bloqueio à entrada de carne bovina in natura aos EUA após registro de abcessos provocados pela vacina contra febre aftosa; e a Operação Trapaça, também da PF, essa com envolvimento direto de ex-funcionários da BRF, acusados de burlar os testes de salmonela.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on skype
Skype
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on email
Email
Share on pocket
Pocket

Posts Relacionados:

Menu

GALERIA DE FOTOS DO INSTAGRAM

Acompanhe e compartilhe:

Fechar Menu
×
×

Carrinho