Dia a dia do mercado pecuário em 7 de maio

Preço da arroba acumula queda e mercado espera demanda mais aquecida. Confira as notícias desta terça-feira

Terça-feira de baixo apetite para compras de boiadas, relata FNP

Atualmente, as escalas de abate dos frigoríficos têm, em média, animais para atender programações até o final da próxima semana, o que limita o apetite comprador de algumas indústrias, relata boletim desta tarde da Informa Economics FNP.

“Embora se avança para o período da seca, com os pastos perdendo suporte, os pecuaristas ainda conseguem reter alguns lotes no campo, uma vez que muito encontram dificuldades nas relações de troca no mercado de reposição”, informa a consultoria paulista.

Neste contexto de baixa liquidez de negócios, as variações seguem pontuais com os valores da arroba majoritariamente estáveis.

No atacado, carne bovina atinge a mínima em 30 dias

A carcaça casada bovina atingiu o menor valor em um mês no atacado de São Paulo, fechando segunda-feira cotada em R$ 10,42/kg, informa a Agrifatto.

No entanto, o spread (diferença de preços entre a carne bovina no atacado e a arroba do boi gordo) está positivo em 2,83%, segundo a consultoria.

“Com o pagamento de salários e feriado de Dia das Mães (12 de maio), o escoamento de carne bovina do atacado deve aumentar e as cotações podem reajustar nos próximos dias”, prevê a Agrifatto.

Preços futuros do boi acompanham mercado físico e caem

No embalo do mercado físico, os contratos futuros também recuaram nas última semanas na bolsa de mercado B3.

Segundo dados da consultoria Agrifatto, o contrato para maio/19, que chegou a ser negociado a R$ 155,50 (dia 24 de abril), fechou o pregão da última sexta-feira em R$ 152,75/@, uma queda de 1,8% ou R$ 2,75/@, informou

Já o contrato futuro para outubro/19 (pico da entressafra) fechou em R$ 158,80/@ na última sexta-feira, ante o valor de R$ 161/@ registrado em 24 de abril de 2019.

Boi gordo acumula queda de 4,5% desde abril

Depois de registrar, em meados de abril, valor recorde de R$ 159,20/@ (preço nominal, à vista, em São Paulo), o Indicador do boi gordo Esalq/B3/Cepea fechou ontem a R$ 152/@, o que representou queda diária de 1,7% e desvalorização de 4,5% (ou R$ 7,20/@) em relação ao pico histórico registrado no no mês passado.

Mercado espera demanda mais aquecida esta semana

A primeira semana “cheia” de maio (após o feriado do Dia do Trabalho) começou com a expectativa de aumento da demanda interna pela carne bovina, puxado pelo recebimento dos salários e a comemoração do Dia das Mães (12 de maio).

“Pontualmente, esses fatores podem contribuir com pagamentos mais altos pela arroba do boi gordo, apesar do aumento gradativo da oferta de boiadas, movimento que pode limitar essa expectativa de alta”, avalia na manhã desta terça a Scot Consultoria.

Ontem, em São Paulo, o boi gordo ficou cotado em R$156/@, à vista, livre de Funrural. Na praça paulista, as escalas de abate atendem em torno de cinco dias.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.